Tocado pelo sol durante o ano inteiro, assim é Salvador. Aqui a diferença entre verão e inverno praticamente não existe, assim suas belas praias de frente para o Atlântico recebem turistas e locais todos os meses. Aqui é o lugar certo para procurar o calor, a cor e o sabor do Brasil, nesse litoral que ao longo dos séculos testemunhou uma mistura de tradições da África, América e Europa, criando um mix cultural único.

Salvador de Bahia, também chamado somente de Salvador por seus habitantes, é a terceira cidade mais populosa do Brasil, depois de São Paulo e Rio de Janeiro. Em seus bairros, de fato, vivem três milhões de pessoas, a maioria das quais são de origem africana. Hoje é a capital do estado da Bahia, no nordeste do Brasil, mas até 1763 era a capital de todo o Brasil, um título que então teve que se render ao Rio de Janeiro.

A alma de Salvador pode ser descrita, para os mais românticos, com três C’s: capoeira, candomblé e cachaça. A primeira é uma dança com origem em uma luta, que conta a história dos africanos que chegaram a Salvador como escravos. A segunda é a religião afro-brasileira das Orixás, os semideuses cuja adoração se integrou a outras religiões no estado da Bahia. E o terceiro é o destilado da cana-de-açúcar, a alma ardente da caipirinha, o coquetel mais típico do Brasil. Você vai encontrar traços de todas essas três palavras na vida diária do Pelourinho, bairro histórico de Salvador, com casas coloridas e ruas de paralelepípedos cheias de pessoas. Em suas praças, é comum testemunhar shows improvisados de capoeira, ou simplesmente um pouco de música, enquanto se passeia com os olhos erguidos, ao se deixar atrair pelos desenhos das casas em cores pastel e pelos aromas da cozinha baiana, que se espalha pelo ar a partir dos inúmeros restaurantes locais.

O Pelourinho está localizado na parte superior da cidade, aonde se chega a partir do porto através do icônico (e, claro, muito útil!) Elevador Lacerda: suas duas colunas são um dos símbolos de Salvador, que todo turista acaba encontrando mais cedo ou mais tarde em suas explorações.

E nas ruas de Salvador você também verá muitas igrejas, um símbolo tangível da forte religiosidade desse povo: igrejas que dominam as praças, como a Catedral de Salvador, outras um pouco mais desarticuladas, mas incrivelmente valiosas como a Igreja de São Francisco, ou com um visual incomum, como a Igreja de Nossa Senhora dos Mares e de espiritualidade intensa como a Igreja do Bonfim, adornada com suas inúmeras fitas multicoloridas. Você também verá conventos históricos, tão vivos quanto o de São Francisco ou outros que se transformaram em algo diferente como o Convento do Carmo.

Os visitantes podem fazer compras no Mercado Modelo, onde encontrarão as lembranças mais típicas e os sabores mais autênticos da Bahia, ou encher os olhos com a beleza do Farol da Barra, com vistas para o oceano. Você vai ver as roupas brancas das mulheres de Salvador, as baianas aclamadas pelo grande escritor Jorge Amado (a propósito: sua casa é hoje um museu no Pelourinho), os sinais do passado colonial da cidade, o desejo de modernização dos bairros mais modernos, sem nunca esquecer suas tradições.

Há muitas maneiras de começar a descobrir Salvador, mas há uma que é particularmente emocionante: vê-lo surgir diante de seus olhos chegando pelo Oceano Atlântico em seu Cruzeiro Costa. É uma visão única, o que tornará as suas férias especiais desde o primeiro momento.

 

Você está indeciso sobre o que ver nesta cidade incrível? Vamos cuidar disso: aqui está a nossa lista de 15 coisas imperdíveis em Salvador: 

  • Pelourinho
  • Elevador Lacerda
  • Igreja e Museu da Misericórdia
  • Terreiro de Jesus
  • Catedral de Salvador
  • Igreja de São Francisco
  • Bairro da Barra
  • Farol da Barra
  • Igreja de Nossa Senhora dos Mares 
  • Igreja do Bonfim
  • Iguatemi
  • Mercado Modelo
  • Teatro Castro Alves
  • Convento do Carmo
  • Morro de São Paulo

Pelourinho

Se você está em Salvador da Bahia, então você certamente vai acabar parando no Pelourinho: esse é o nome de seu bairro histórico, o "coração" da cidade de Salvador. Sua história é cheia de altos e baixos, mas recentemente passou por uma grande renovação. A prova disso é que ele foi tombado como Patrimônio Mundial da UNESCO, graças à sua arquitetura colonial.

 

Seu visual característico, com ruas de paralelepípedos e construções coloridas, estão entre as imagens mais famosas de Salvador. Turistas e moradores se reúnem no Pelourinho (que os baianos chamam de Pelô) todos os dias, em suas inúmeras lojas, restaurantes, clubes, museus, monumentos... É aqui que sua excursão Costa irá lhe trazer. E foi aqui que viveu também o escritor Jorge Amado, que narrou o Brasil de forma única, e cuja casa é hoje um museu aberto ao público no Largo do Pelourinho, uma praça "inclinada" delimitada por edifícios multicoloridos.

 

O Pelourinho foi o primeiro bairro de Salvador na época de sua fundação, 1549, graças à sua posição estratégica elevada que lhe permitia proteger os arredores e o porto. Bairro residencial há séculos, passou por um declínio em 1900 devido à mudança dos habitantes de Salvador e das atividades comerciais para outras áreas da cidade: depois de um período sombrio, foi renovado no final do século passado. Hoje é o centro cultural da cidade, bem como o destino favorito dos turistas, que chegam pelo Elevador Lacerda (ou pelas ruas íngremes de Salvador!) para explorar suas principais praças, a Praça Thomé de Souza e a Praça da Sé, com vista para o mar, e o Largo Terreiro de Jesus, onde fica a Catedral, e também para desfrutar da música de rua e da vida de seus cantos menos conhecidos.

Elevador Lacerda

Qual é a maneira mais confortável de chegar ao bairro histórico do Pelourinho, em Salvador? Pegando oElevador Lacerda. E a melhor maneira de admirar a vista durante a subida? A resposta é a mesma: o Elevador Lacerda é um dos símbolos da cidade, além de ser de grande ajuda para aqueles que têm que se mover a pé entre as subidas íngremes do centro. Na verdade, estima-se que transporte por mês cerca de 750.000 passageiros, entre os turistas que são atraídos por seu charme déco e pelos soteropolitados que o usam como o meio mais rápido para ir de um ponto para outro na cidade.

 

Antes de sua construção, em 1873, no lugar do Elevador Lacerda havia uma polia manual! Isso basta para mostrar como essa construção, instituída inicialmente pelo comerciante Antônio Francisco de Lacerda, é importante para a cidade, conectando a Praça Tomé de Sousa à Praça Cairu. Entre as duas linhas, existem 72 metros de diferença de altitude, trajeto que o elevador percorre em menos de meio minuto. Inicialmente, o elevador tinha apenas uma torre, a que está situada na colina, mas em 1930, a segunda, de frente para o porto, foi adicionada, após uma complexa obra de renovação que deu à construção o seu estilo déco atual.

 

Sua marca registrada é permitir que seus passageiros desfrutem de uma vista deslumbrante para a Baía de Todos os Santos, a partir da passarela envidraçada que une as duas torres. No Elevador Lacerda existem 4 cabines que transportam 128 pessoas ao todo, trabalhando continuamente 24 horas por dia.

Igreja e Museu da Misericórdia

Saindo do Elevador Lacerda, você estará na Praça Tomé de Sousa, no bairro histórico do Pelourinho: a uma curta distância dali, fica o Complexo de Misericórdia, que desempenhou um papel muito importante na história de Salvador. Fazem parte dele o Museu da Santa Casa da Misericórdia e da Igreja da Misericórdia: o impressionante edifício que abriga o Museu foi o primeiro hospital da cidade, fundado em 1549, no mesmo ano da fundação de Salvador. Danificado pelos bombardeios britânicos e holandeses que aconteceram entre os séculos XVI e XVII, foi reconstruído no século XVIIe hoje é um museu muito rico, com uma coleção de mais de 3000 peças que contam os 500 anos de história da cidade, através dos eventos políticos, sociais e até mesmo sanitários. Um exemplo? Há azulejos de 1712 que reproduzem a Procissão do Fogaréu (um ritual brasileiro da Semana Santa), o armário de remédios de 1867, o primeiro carro a gasolina de Salvador...

 

A Igreja da Santa Casa da Misericórdia, por sua vez, foi construída em 1654 no mesmo local onde se encontrava um templo. Em 1700, foram realizadas diversas obras de melhoria: no seu interior, há traços de diferentes estilos, do Barroco ao Rococó, passando pelo neoclássico, com pinturas antigas e azulejos. Ele tem um papel não só religioso, mas é palco também de cerimônias privadas e shows.

Terreiro de Jesus

Na parte mais antiga de Salvador, fica o Terreiro de Jesus, uma das praças históricas mais importantes da cidade. Parada turística inevitável no Pelourinho, o Largo Terreiro de Jesus seria chamado oficialmente Praça 15 de novembro: o nome pelo qual é conhecido vem dos primeiros anos da fundação de Salvador, no final de 1500, quando essa parte da nova cidade foi cedida pelo então governador-geral Tomé de Sousa aos Jesuítas. Aqui os sacerdotes construíram uma primeira capela e seu colégio, e a população começou a chamar o terreno a sua frente de "Terreiro de Jesus". Em 1600, a capela deu lugar à igreja monumental que ainda hoje domina a praça e que se tornou a Catedral de Salvador.

 

Outros importantes edifícios religiosos da Baía ficam de frente para o Terreiro de Jesus, quais sejam, as igrejas de São Pedro dos Clérigos e a Ordem Terceira de São Domingos de Gusmão, e ao virar da esquina estão a Igreja e o Convento de São Francisco. Mas a praça não é dedicada apenas às funções espirituais: larga e luminosa, com seu piso pavimentado por seixos de duas cores, formando um padrão ondulado, também abriga uma fonte e muitas mesas dos bares ao redor, onde você pode sentar e recuperar o fôlego depois de enfrentar as infinitas subidas e descidas do bairro do Pelourinho.

Catedral de Salvador

Seu nome completo seria Catedral Basília Primacial da Transfiguração do Senhor, mas se você se referir a ela apenas como Catedral aos habitantes de Salvador, eles saberão muito bem qual igreja você está procurando: a Catedral da Transfiguração do Senhor é uma das construções mais características do bairro do Pelourinho no centro histórico da cidade, além de ser a sede da arquidiocese.

 

A igreja está localizada onde no final de 1500 foi a primeira capela dos jesuítas de Salvador. A primeira pedra de sua construção foi colocada em 1657 e foi consagrada 15 anos depois, mas os cidadãos tiveram que esperar até 1746 para vê-la concluída, com a instalação das estátuas em calcário Iloz na fachada, trazido de Portugal para a ocasião. Hoje, ela é o ponto de destaque do Terreiro de Jesus, uma das praças mais famosas e amadas da cidade, e diante da sua fachada monumental e cândida, concebida em estilo maneirista, concentra-se a vida da cidade dos baianos e dos turistas, que se amontoam nos bares ao lado da Catedral.

Igreja de São Francisco

Em Salvador você vai encontrar uma das obras-primas da arte barroca mais importantes do Brasil: é a Igreja de São Francisco, uma das pérolas do bairro central do Pelourinho. Juntamente com o convento em anexo, forma um complexo religioso monumental localizado no Largo do Cruzeiro de São Francisco, logo após a esquina do Terreiro de Jesus, que abriga a Catedral de Salvador.

 

Os obras de construção se prolongaram por quase toda a primeira metade do século XVII: a Igreja está localizada onde, no final de 1500, havia um convento, que mais tarde foi reconstruído devido ao aumento da população de padres. Sua fachada marrom é ladeada por duas torres com janelas cobertas de maiólicas brancas. Essas maiólicas só foram colocadas no edifício em 1805.

 

Mas o que torna essa igreja famosa é o seu interior, muito rico e totalmente decorado. Cria-se uma ilusão óptica de uma construção em ouro: grande parte do interior da igreja é de fato feito em madeira esculpida e coberta de ouro e até mesmo o teto é dourado, ornamentado em todo o seu comprimento. Perto da Igreja está localizado o Convento de São Francisco, famoso principalmente pela seu claustro de dois andares coberto de azulejos esmaltados e decorados, vindos diretamente de Portugal. Os azulejos datam de cerca de 1743, e retratam cenas e julgamentos morais em primeiro andar, enquanto no segundo andar também há cenas alegóricas, paisagens e imagens de caça ou pesca.

Bairro da Barra

O bairro da Barra, em Salvador da Bahia, tem uma característica que o torna único: está localizado exatamente na ponta da península em que fica a cidade, entre a Baía de Todos os Santos e o Oceano Atlântico, e por esse motivo das suas margens você pode ver tanto o nascer quanto o pôr-do-sol sobre o mar.

 

Devido à sua localização, na Barra há também várias praias com areias douradas e águas cristalinas, perfeitas para os mergulhadores. Caminhando pela Praia do Porto da Barra, é fácil esquecer que você está a uma curta caminhada do centro de uma metrópole! Esse bairro de Salvador tem uma vocação mais residencial do que o Pelourinho, e se você fizer um passeio por ali com a sua excursão da Costa, você verá muitos edifícios recém-construídos. Se quiser sentar-se em um bar da moda e saborear uma caipirinha ou um caldo de cana-de-açúcar, na Barra você terá várias opções. Outra atração do loca é o belo calçadão, recentemente renovado, onde você pode passear longe dos ruídos da cidade.

Farol da Barra

É a atração mais popular no bairro da Barra, em Salvador: o Farol da Barra, com a sua posição na ponta da península de onde se vê o sol nascer e se por no mar, é um dos cartões postais mais famosos do Brasil.

 

O farol tem listras pretas e brancas, 22 metros de altura e vista para o oceano, desde o século XVII. Fica diante do Museu Náutico da Bahia, alojado em um antigo forte. Ao lado do promontório rochoso em que o Farol de Barra foi construído, fica a Praia de mesmo nome, uma praia de areia clara banhada pelo Oceano Atlântico, que na costa assume tons de azul-turquesa e verde esmeralda. Aqui os baianos se deitam para tomar sol, talvez com uma água de coco na mão, enquanto assistem surfistas pegando as ondas na linha do horizonte. E para os turistas é uma parada imperdível, onde curtir a vida praiana brasileira em um cenário mágico!

Igreja de Nossa Senhora dos Mares

Em Salvador, há também uma Igreja neogótica: é a Igreja de Nossa Senhora dos Mares, localizada na praça de mesmo nome, o Largo dos Mares, no bairro de Uruguai, a uma curta distância da Baía de Todos os Santos e à direita da cidade velha. Passando por aqui com a sua excursão Costa, você certamente irá se surpreender diante desse edifício com grandes janelas rosas, com mais de 50 metros de altura.

 

A Igreja de Nossa Senhora dos Mares foi construída entre 1930 e 1956 perto de onde ficava a antiga paróquia, mas que na década de 1920 estava em estado de decadência. Assim que a nova igreja foi concluída, a antiga igreja foi demolida. Dessa forma, ela deu espaço ao Largo que fica de frente para a igreja, que parece ainda mais enorme e imponente porque está inserida em uma paisagem de edifícios mais baixos.

Igreja de Nossa Senhora do Bonfim

Na Sagrada Colina, na península de Itagipe em Salvador, há uma igreja famosa em todo o estado da Bahia, a Igreja de Nossa Senhora do Bonfim. Passando diante dessa construção cuja fachada se destaca pelo seu estilo Rococó com a sua excursão da Costa, você verá em suas grades uma infinidade de fitas coloridas: são as famosas “fitinhas do Bonfim”, fitas que os fiéis amarram em sinal de devoção ou para pedir bençãos. Elas têm 47 centímetros de comprimento, como o braço direito da imagem de Jesus Cristo, trazida aqui pelo capitão português Theodosio Rodriguez de Faria.

 

Fitinhas também são um símbolo de sincretismo religioso de Salvador, porque na tradição local, cada cor corresponde a um dos Orixás, os semideuses afro-Americanos cujo culto sempre esteve vivo entre os baianos. A Igreja de Nossa Senhora do Bonfim, ao longo dos anos, tem testemunhado a coexistência de diferentes tradições e cultos, tornando-se assim um dos lugares espirituais mais amados da cidade.

Iguatemi

Ao atravessar a região de Iguatemi com a sua excursão Costa, você vai sentir como se não estivesse mais em Salvador: esse é o novo centro comercial, médico e financeiro da cidade. A cerca de 13 quilômetros da cidade velha, o Iguatemi abriga os edifícios mais modernos de Salvador, com arranha-céus que estão se tornando uma área residencial muito na moda.

 

O desenvolvimento desse bairro começou na década de 1970 com a abertura de um primeiro shopping center, e nunca mais parou. Ao longo do tempo, muitos novos negócios foram sendo adicionados, além do terminal de ônibus da cidade, vários serviços... Hoje, o Iguatemi é bastante movimentado e animado, quase um segundo centro da cidade.

Mercado Modelo

Você quer fazer compras em Salvador e encontrar algo típico? Seu destino, então, é definitivamente o Mercado Modelo. Há também uma excursão da Costa que irá acompanhá-lo aqui, deixando-lhe tempo para passear livremente e fazer suas compras! Ele fica localizado no bairro do Comércio, perto doElevador Lacerda e do Pelourinho, e se apresenta como uma construção em estilo neoclássico, aberto em 1912 para suprir as necessidades alimentares da cidade, e que vendia também artigos para o Candomblé, isto é, o culto dos Orixás, semideuses afro-americanos celebrados pelos baianos.

 

Hoje, em seus 8.410 metros quadrados abriga mais de 260 barracas de artesanato e especialidades locais, e na parte de trás do edifício há vários restaurantes que oferecem pratos típicos da Bahia. É impossível sair desse turbilhão de cores, aromas e sabores de mãos vazias! O Mercado Modelo tem uma história aventureira: acredita-se que tenha sobrevivido a cinco incêndios.

Teatro Castro Alves

Ao ver de fora o Teatro Castro Alves, talvez ao passar por aqui com a sua excursão Costa, você vai se surpreender com a elegância de suas formas: esse edifício de estilo modernista, baixo e alongado, se integra discretamente na paisagem circundante. Fica diante da praça no Largo do Campo Grande, na fronteira entre os bairros de Garcia e Canela, ao sul da cidade velha, e tem uma história conturbada: acredita-se que seria inaugurado em 1958, mas incidentes técnicos e políticos fizeram com que sua abertura fosse adiada até 1967.

 

Dedicado ao poeta do século XIX Antônio Frederico de Castro Alves, conhecido como o "poeta dos escravos" por seu engajamento cívico, o Teatro Castro Alves é hoje um dos centros culturais de Salvador da Bahia. Além das representações na sua sala interna com cerca de 1500 assentos, oferece também espetáculos sob as estrelas: atrás dele fica a “Concha Acústica”, um anfiteatro a céu aberto com 5000 lugares, rodeado por árvores.

Convento do Carmo

O Convento do Carmo foi erigido em 1586, como a primeira casa das Carmelitas dos Pés Descalços, onde hoje é o bairro de Santo Antônio além do Carmo, a uma curta caminhada do Pelourinho, de Salvador da Bahia. As fachadas claras e imponentes dessa construção, de face para uma rua pavimentada e cercada de casas coloridas, antigamente escondiam dois claustros onde viviam monges. Hoje, devido à escassez de novas vocações, o convento não existe mais como tal: tornou-se um belo hotel histórico com restaurante, onde os hóspedes buscam a paz na qual viviam os antigos moradores.

 

Ao lado do Convento fica a Igreja do Carmo, uma igreja em estilo barroco com detalhes góticos que abriga uma imagem preciosa cravejada de rubis, e a Igreja da Ordem Terceira do Carmo de Salvador, também construída no mesmo estilo: os dois edifícios religiosos tão próximos uns dos outros são uma imagem particularmente marcante do centro de Salvador.

Morro de São Paulo

Cruzando a Baía de Todos os Santos, a partir de Salvador, você chega a uma localidade turística completamente diferente da atmosfera metropolitana: o Morro de São Paulo, na ilha de Tinharé. Na verdade, ele fica em um pequeno paraíso terrestre, com praias brancas à sombra de Palmeiras e águas cristalinas, onde os baianos vêm mergulhar, nadar nas piscinas naturais criadas pelo recife de corais, fazer trekking à sombra dos manguezais e saborear caipirinhas ou água de coco curtindo a beleza do Oceano Atlântico, que aqui é calmo mesmo a vários metros da costa.

 

Morro de São Paulo oferece uma vista para o mar a partir de um promontório verdejante onde fica um farol. Atrás dele estão várias praias mundanas ou mais selvagens, onde se pode chegar de barco.

Viaja para Salvador da Bahia com Costa Cruzeiros

 

Seu cruzeiro Costa fará uma parada em Salvador? Prepare-se para viver momentos inesquecíveis e descobrir a alma rica e multicultural do Brasil, no litoral onde a tradição afro-americana é mais forte e se mistura ao legado dos conquistadores. Aproveite esse maravilhoso turbilhão de emoções, cores e saudade que só uma cidade como Salvador pode lhe oferecer.

Viaje com a Costa Cruzeiros