Moscou é uma cidade vibrante e moderna, que impressiona pelo seu porte e pela diversidade. A capital da Rússia possui cerca de 12 milhões de habitantes e é uma cidade tão exótica que chega a ser mágica, devido aos seus edifícios e história bastante peculiares. Com suas ruas largas, praças lendárias e prédios exuberantes, a capital da Rússia é um dos destinos mais procurados por turistas. A Rússia é o maior país do mundo e sua capital não ficaria atrás, claro. Moscou é enorme e repleta de coisas para fazer. Ao procurar o que fazer em Moscou você nunca ficará entediado. A capital russa é muito rica em atrações turísticas que estão espalhadas por todos os cantos da cidade. Importante centro econômico, político, financeiro, cultural e religioso do país. Essa cidade irá te conquistar facilmente.

Moscou é uma cidade grande e de muitas possibilidades. Há atrações e entretenimento para todos os gostos e estilos. O turismo de Moscou gira em torno do Kremlin, símbolo do poder soviético, Praça Vermelha e sua magnífica Catedral de São Basílio. Mas há mais do que descobrir na capital da Rússia. Você pode ir muito além com os museus, teatros, jardins, espetáculos de balé e restaurantes. A cidade é o lugar ideal para quem deseja conhecer mais sobre os tempos vermelhos da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Uma facilidade da cidade é a sua fascinante rede de metrôs, que além de ser uma atração turística, te leva para os demais passeios.

Então, se você quiser saber mais sobre as principais atrações turísticas de Moscou, embarque conosco e veja abaixo as principais atrações da cidade:

Praça Vermelha

A zona mais conhecida de Moscou com certeza é a Praça Vermelha. Ela é tão grande que é difícil dizer onde ela começa e onde termina. Antes era um mercado, onde camponeses vendiam suas mercadorias para os moradores da cidade. Ao longo dos anos o lugar serviu para diversos eventos e propósitos e foi desde palco de celebrações a local de punições. A praça retangular reúne algumas das principais atrações da cidade: o Mausoléu de Lênin, o Museu Histórico do Estado, o shopping GUM e a Catedral de São Basílio.

 A origem de seu nome é um tanto controversa, sendo a palavra russa para “vermelha” a mesma para “bonita”. Muitos acham que ela se chama vermelha devido aos muros do Kremlin, que são de cor terracota, ou por causa do comunismo soviético, mas na verdade deve ser somente pela beleza da Catedral de São Basílio, localizada no centro da praça. 

Mausoléu de Lênin

O mausoléu de granito situado na Praça Vermelha abriga o corpo de uma das personalidades políticas mais famosas da Rússia, o chefe de Estado e líder da Revolução Russa. O Mausoléu de Lenin, onde é mantido embalsamado desde sua morte em 1924, é um ponto turístico que você não pode deixar, de forma alguma, de visitar. Além de sua arquitetura soviética de tirar o fôlego, é um ponto reverenciado por muitos russos.

O lugar possui um formato de pirâmide e abriga o sarcófago do Vladimir Lenin. Inicialmente, a intenção era expor o corpo temporariamente, mas depois dirigentes da URSS resolveram conservar o corpo, transformando o Mausoléu em um importante símbolo do regime soviético.

Kremlin de Moscou

Ergue-se no centro de Moscou, na Praça Vermelha, a imponente construção que é um dos pontos obrigatórios do visitante na cidade: o complexo do Kremlin de Moscou ou simplesmente Kremlin. Cercada por muros altíssimos, a famosa fortaleza conhecida mundo afora é a sede do governo e, desde 1991, também passou a ser a residência oficial dos chefes de Estado depois de ter sido moradia para muitos czares russos. Os muros do Kremlin são a estrutura arquitetônica do século XV mais significativa da Rússia.

O nome do complexo significa “fortaleza dentro de uma cidade”, o que justifica também a sua função. Já que foi construída com o objetivo de proteger a cidade de ataques estrangeiros.

O complexo do Kremlin conta com cinco palácios e quatro catedrais, entre outros edifícios. Todos são magníficos, circundados por sua muralha rubra construída no século XV. Seu interior é tão gigantesco que parece formar uma nova cidade, com sinais de trânsito, calçadas e prédios de diferentes épocas, indo do império aos anos soviéticos.

Museu Pushkin de Belas Artes

Como outros grandes centros europeus, Moscou tem um museu que reúne trabalhos de artistas famosos e muito importantes para a história da humanidade: o Museu Pushkin de Belas Artes. O nome é em homenagem ao grande poeta russo Alexander Pushkin e, composto por três prédios, o museu possui importantes coleções de pinturas, esculturas, fotografias, moedas e desenhos. Ao todo são mais de 700 mil obras de diferentes épocas; também é conhecido por ter uma das maiores coleções de réplicas do mundo em gesso e bronze.

Inaugurado em 1912: o museu Pushkin de Belas Artes está instalado em um prédio cuja arquitetura é de cair o queixo, onde o visitante vai poder conferir de perto as coleções de Claude Monet, parte do acervo privado de Sergei Shchukin, Pablo Picasso e Matisse; ao longo do percurso estão outros trabalhos de pintores famosos, como Van Gogh, Renoir e Paul Gauguin.

Catedral de São Basílio

Visitar a Catedral de São Basílio é indispensável para quem está montando um roteiro do que fazer em Moscou. Ela é o cartão postal não somente da cidade, mas de todo o país. Foi construída no século XVI a mando do czar Ivan IV para comemorar o domínio do império sob as cidades de Kazan e Astrakhan. 

A famosa Catedral vermelha com torres coloridas chama atenção de quem passa pela Praça Vermelha. O formato e as cores diferenciadas dão um toque especial à imponente construção. A Catedral de São Basílio reúne 10 igrejas interligadas por corredores decorados com painéis e pinturas com muitas características da Igreja Ortodoxa Russa.

Depois de admirar a estonteante fachada da catedral, incluindo a torre dos sinos e as oito cúpulas multicoloridas, não deixe de conhecer o interior igualmente rico e cheio de detalhes. A arte está por todos os lados: pinturas a óleo do século XIX, afrescos restaurados e extremamente valiosos e uma escada de madeira que ficou escondida durante anos (descoberta nos anos 70) são apenas alguns dos tesouros existentes no interior da igreja.

Teatro Bolshoi

O Teatro Bolshoi foi fundado, e seu edifício construído, a mando da Imperatriz Catarina II, no século XVIII. Antes da Revolução, pertencia ao conjunto de Teatros Imperiais da Rússia. Ali, em seu palco, foi oficialmente formalizada a criação da União Soviética, em 1922. Ir a Moscou e não assistir um espetáculo no Teatro Bolshoi é imperdoável. Ainda mais se for de balé, referência mundial!

O prédio do teatro já é um espetáculo por si só. Foi desenhado por Joseph Bové, em 1856, para receber espetáculos de ópera e balé. O imponente teatro, conhecido por ter uma das melhores acústicas do mundo, tem uma arquitetura harmônica e interior imponente. Com capacidade para 2 mil lugares, ele era (e é ainda) um lugar de grande prestígio, frequentado por czares e líderes russos para assistir a ópera ou sua companhia de ballet, a mais conhecida do mundo.

Galeria Tretyakov

Mais de 170 mil trabalhos pertencentes a artistas russos de renome estão expostos neste tradicional e imperdível museu de Moscou, a Galeria Tretyakov. O belo prédio, situado no centro da cidade, com 62 salas distribuídas em dois andares, abriga coleções inicialmente doadas pelo comerciante local Pavel Tretyakov. São pinturas, desenhos, esculturas e muitos outros objetos importantes datados a partir do século XI.

Para conhecer a galeria é necessário fazer uma caminhada pelo Parque dos Monumentos Caídos. Aproveite para apreciar as esculturas da era comunista. Ao chegar lá procure pela Casa Central dos Artistas, um prédio moderno em formato de caixa, dentro do parque. Lá você terá a oportunidade de conhecer obras de artistas pioneiros da arte abstrata, como Kandinsky e Malevich.

A visita à galeria é muito interessante para conhecer mais a fundo a riqueza das pinturas russas, seus momentos artísticos, que retratam tão bem os sabores e dissabores vividos pela população do país.

Parque Kolomenskoye

Se você pensa em Moscou, imagina uma cidade cinza toda estilo stalinista, mas ela tem muitos parques incríveis e que estão sempre cheios de gente praticando esportes, fazendo piqueniques, ou só andando por aí parecendo estilosos. Um dos mais interessantes é Kolomenskoye, que é um parque gigantesco cheio de atrações diferentes, de fortalezas de madeira a igrejas que são patrimônio da UNESCO. 

Um passeio pelas reviravoltas e labirintos da história de um grande império que se alimentou das raízes de uma pequena cidade-estado. Lugar sagrado para muitos russos, Kolomenskoye é berço de mitos e lendas, testemunha de grandes vitórias e dolorosas derrotas, aqui passaram sua infância alguns dos maiores czares da história russa, como Pedro I e aqui viveram alguns de seus anos mais gloriosos os monarcas da velha Rússia.

Catedral do Cristo Salvador

A Catedral do Cristo Salvador é, junto a de São Basílio, a mais importante de Moscou. Foi construída em 1812 a mando do imperador Alexandre III para honrar os soldados que morreram após as invasões napoleônicas na cidade. Demolida  em 1931 para dar lugar a um palácio do centro do poder soviético, foi reconstruída com o fim do regime comunista e reinaugurada em 2000.

Localizada no distrito de Arbatskaya, às margens do rio Moscou, também possui cúpulas douradas, que podem ser visualizadas de várias partes da cidade. Além da visitação ao interior da igreja, lá possui um ambiente externo ótimo para ser explorado, como a Ponte Patriarshy, que dá acesso à Catedral.

Descubra o Norte da Europa no Cruzeiro Costa

O Norte da Europa é um encanto de paisagem, natureza e  história. França, Escandinávia, Reino Unido e Groenlândia são uma pequena parte do mar de oportunidades que os nossos pacotes podem te fazer explorar. Assim como a Rússia, o maior país do Mundo, que faz parte de 2 continentes. Tudo isso junto com o luxo, a modernidade e os serviços que os nossos cruzeiros oferecem para uma viagem inesquecível.