Uma mistura perfeita de antiguidade e modernidade. Málaga é uma das mais belas e excitantes cidades na Andaluzia. Capital da Costa del Sol, o lugar oferece uma experiência única aos turistas que visitam as cidades e praias da Espanha todos os anos, em busca de férias únicas e inesquecíveis. Para os visitantes, Málaga é um sonho que se torna realidade: museus, fortalezas árabes, ruas coloridas e modernidade se misturam. Tudo isso com cenários de tirar o fôlego, como lindos jardins, cânions naturais e áreas para trilhas e escaladas.

 

Confira abaixo 13 coisas para fazer em Málaga e região que selecionamos para você:

  • A Catedral
  • O Teatro Romano
  • A Alcáçova de Málaga
  • O Castelo de Gibralfaro
  • O Museu Picasso
  • Shows de Flamenco
  • A Feria de Málaga
  • O Museu Carmen Thyssen
  • Ao redor de Málaga: O Caminho do Rei
  • Ao redor de Málaga: Gibraltar
  • Ao redor de Málaga: Granada
  • Alhambra (Granada)
  • Ao redor de Málaga: Cordoba

A Catedral de Málaga

Qualquer visita a qualquer cidade deve começar com a Catedral, uma pérola colossal da arte renascentista que levou mais de dois séculos para ser construída. Ela fica onde costumava ser uma antiga mesquita, e apenas o Pátio Orange-Tree, exalando um aroma de frutas cítricas, ainda se mantém. Ao se aventurar para dentro, você pode admirar o teto a 40 metros de altura antes de subir ao topo da torre do sino - há 200 degraus, mas as vistas deslumbrantes da cidade e da costa fazem valer a pena o esforço.

O Teatro Romano de Málaga

Entre as muitas atrações de Andaluzia, particularmente em Málaga, você não pode deixar de conhecer o Teatro Romano. O local encantador é um dos monumentos mais antigos da cidade e uma das poucas ruínas romanas restantes na região. Ele foi designado como um Local de Interesse Cultural e a cada ano atrai turistas e estudantes para conhecer a história das ruínas históricas.

 

A estrutura do anfiteatro continua praticamente intacta: cáveas, orquestra e proscênio ainda estão em pé em uma área aberta formada por três lindas escadas. Graças ao trabalho de restauração arqueológica, o lugar pode mais uma vez ser usado para seu propósito original e hoje pode acomodar até 200 espectadores durante as apresentações teatrais. Em 2010, o Centro de Interpretação do Teatro Romano foi construído, para fornecer informações sobre esta valiosa relíquia da época romana. O edifício, feito de aço e em forma de prisma, foi projetado por Antonio Tejedor e oferece uma excelente introdução à região que você está prestes a visitar. As exposições interativas enriquecem ainda mais esta experiência fantástica.

Alcazaba

O Alcáçova, ou Alcazaba, é uma daquelas maravilhas que servem como lembrança do passado árabe glorioso de Málaga. No entanto, esta esplêndida residência é, na verdade, uma mistura de culturas: árabe, romana e renascentista. Para entrar, você passa pelo Teatro Romano, depois por um exuberante jardim de palmeiras, laranjeiras e jasmim. O palácio-fortaleza de Alcáçova foi construído no período dos mouriscos, no séc. XI, a mando do Rei de Granada, Badis ibne Habus. O interior é um show de esplendor e beleza, com decorações, portas cobertas de joias, fontes e um maravilhoso museu arqueológico, que abriga uma surpreendente coleção de cerâmicas islâmicas e objetos históricos.

O Castelo de Gibralfaro

O Castelo de Gibralfaro de Malaga é um dos mais famosos monumentos da cidade. Ele chega a 130 metros e fica no coração do centro histórico da cidade, próximo da Fortaleza de Alcáçova. Do alto, você pode desfrutar de uma vista deslumbrante de Málaga, o porto, a costa e, claro, a Praça de Toiros. Com um pouco de sorte e céu limpo, você pode ser capaz de enxergar até a costa de Marrocos no horizonte.

 

Os visitantes da cidade não deixam de passar por aqui e com razão: no Castelo de Gibralfaro você se sentirá como se voltasse no tempo para os dias em Málaga foi dilacerada por combates e guerras. Construído por Abderramán III nas ruínas de um recinto fenício, o castelo foi ampliado após a chegada dos romanos. O local foi usado como quartel para as tropas e para proteger o Alcáçova, ao qual está ligado por La Coracha - uma parede externa.

 

Entre as áreas abertas aos visitantes, além dos belos jardins, não deixe de conhecer a Torre Branca, os estábulos, o pátio de desfiles e os aposentos das tropas, na parte inferior do castelo. Nas áreas mais altas, você encontra a Torre Principal, com 17 metros de altura, os banheiros e o famoso Pozo Airon, com mais de 40 metros de profundidade. Aqui, há um centro de visitantes com informações sobre como foi a vida militar no castelo ao longo dos anos. Entre as várias exposições, você verá uniformes dos militares de vários regimentos de guarnição do castelo, além de uniformes da Companhia Alabardero.

O Museu Picasso

Qualquer pessoa que conhece Málaga ou tem um conhecimento básico da arte sabe que esta cidade é o berço de um dos mais famosos artistas do século XX, Pablo Picasso. Atendendo ao pedido do próprio, o Museu Picasso está localizado em sua amada cidade de Málaga e foi sua nora, Christine, que o estabeleceu, apesar de já existirem dois outros museus: um em Paris e outro em Barcelona. Uma visita a este museu é como uma viagem dentro de outra viagem, explorando a arte de Picasso não apenas do ponto de vista artístico, mas também do seu lado humano, conhecendo aspectos fundamentais da história da cidade, do pintor e da Espanha como um todo. O museu também abriga exposições temporárias, que permitem a jovens artistas locais exibirem seus trabalhos.

 

A coleção do museu inclui 204 trabalhos, dos quais 155 foram doados. Os outros 49 foram doados ao museu da coleção particular de Christine Ruiz-Picasso (sua nora), e Bernard-Ruiz Picasso (seu sobrinho). A exposição oferece uma visão cronológica da vida do artista, subdividindo as obras em estilos, técnicas e materiais experimentais utilizadas pelo pintor e escultor longo de sua carreira até sua fase mais madura. Entre as obras mais importantes em exposição no local estão o "Restaurant", óleo em vidro de 1914, a tela "The Three Graces", da idade de ouro do artista, "The Siesta", de 1932, e o icônico "Bull's head", uma escultura de bronze criada usando o selim e o guidão de uma bicicleta.

 

O Museu Picasso está localizado dentro do Palácio de Buenavista, um magnífico exemplo da arquitetura andaluza Renascentista. Outro local imperdível é porão do museu, onde podemos testemunhar a presença ruínas de fenícios, romanos e islâmicos, que são um testemunho importante da rica história da cidade. 

Shows de Flamenco em Malaga

Os conhecedores de flamenco concordam: na capital da Costa del Sol, a dança tradicional está mais vibrante e bem estabelecida do que nunca. Basta ver os incontáveis ​​shows organizados em eventos como a Bienal de Flamenco, ou a popular Feria de Agosto. Mas quem visita Málaga em outras épocas do ano precisa conhecer os lugares certos para ir e ter uma experiência emocionante e, acima de tudo, em respeito à tradição. Tomemos, por exemplo, peñas, como a de Juan Breva: são associações que têm um estatuto e regras. A mencionado acima, particularmente, é o mais antigo na Espanha e também é conhecido como o "Museu do Flamenco". Lá em cima, você encontra várias recordações que evocam a história da região e da cidade. O piso térreo, por outro lado, é usado para exposições, que podem variar de canto e shows de guitarra a exibição de fotos.

 

Outro lugar interessante para visitar se você quiser saber mais sobre o flamenco é o “Centro de Arte Flamenca Kelipé”, dirigido por um casal de artistas, ou a reconhecida escola flamenca, que também possui uma pista de dança para o público. O show "Flamenco del Ley" é encenado no local três noites por semana.

Feria de Málaga

A feria acontece em agosto e é o evento mais importante e empolgante em toda a Costa del Sol. Então, não deixe de conferir a Feira de Málaga, também conhecida como o Grande Festival de Verão. Durante toda a semana, cidades e praias participam das festividades desde o amanhecer até o final do dia, sem parar. Milhares de espanhóis inundam as ruas e comemoram, com danças tradicionais, música ao vivo, cartojal (o vinho branco típico da feira) e shows. É impossível descrever com precisão a atmosfera da Feira: você precisa experimentar por si só para saber o que realmente significa.

O Museu Carmen Thyssen

Em Málaga, o palácio Villalòn, um edifício do século XVI, abriga uma coleção dos trabalhos da extraordinária Carmen Thyssen. Com mais de 200 obras em exposição, o passeio começa com uma série de pinturas de velhos mestres, incluindo o "Santa Marina" por Zubaran, seguido de uma seção dedicada às paisagens românticas e ao consumismo, com obras de Genaro Pérez Villaamil, Manuel Barrón e Domínguez Bécquer. Em seguida, vemos as obras de Maria Fortuny, com seu estilo "preziosista" e paisagens naturais e, finalmente, o trabalho Espanhol fin de siècle, por Joaquín Sorolla, Anglada Camarasa, Ignacio Zuloaga e Julio Romero de Torres. De tempos em tempos, o museu também organiza exposições temporárias.

O Caminho do Rei (65 km de Málaga)

O Caminho do Rei, ou The King's Pathway, fica entre os municípios de Ardales, El Chorro e Alora, e é muito admirado pelos visitantes, graças à sua beleza de tirar o fôlego de sua paisagem. Originalmente construído como ponte para os trabalhadores da manutenção da estação de energia hidrelétrica nas proximidades, esta passagem, com não mais de um metro de largura, tornou-se um destino turístico popular entre os mochileiros em busca de emoção. O nome "Caminho do Rei" deriva do fato de que o rei Alfonso XIII participou da inauguração da barragem Conde de Guadalhorce. Depois de uma série de acidentes, o local foi finalmente concluído em 2015 e agora é possível caminhar até lá com segurança, apreciando a beleza natural dos arredores sem qualquer perigo. A via tem cerca de 7,7 km de comprimento, incluindo 3 km sobre um passadiço de madeira ao lado do desfiladeiro.

 

O restante da rota prossegue ao longo das trilhas da montanha, onde podemos admirar a flora e fauna local e, ocasionalmente, ver algumas cabras da montanha. Devido à sua geologia incomum, muitos fósseis são encontrados pelo local.

Gibraltar (140 km de Málaga)

Uma visita a Gibraltar irá tirar o seu fôlego: a cidade espanhola é uma combinação incomum de elementos ingleses e do norte de África, com um toque de Itália - Genova, para ser mais específico. Quando se trata de histórias sobre a colonização e intercâmbio cultural, Gibraltar tem muito a dizer a quem se interessar. Localizado no extremo sul da Espanha, em Andalusia, está a poucos quilômetros de Tarifa e é o ponto de encontro entre o Mar Mediterrâneo e o Oceano Atlântico. Os visitantes não podem perder o passeio pela cidade espanhola com tons de Inglaterra, completando com castelo mourisco que não deixa de encantar. Embora poucos vestígios dessa época permaneçam até agora, foi um período de dominação que perdura na memória desta terra.

 

Também vale uma visita ao Museu Gibraltar, que abriga artefatos de todas as eras, incluindo os restos de uma mulher de Neanderthal de mais de 100 mil anos atrás. Veja também o Cemitério de Trafalgar e a Alameda Botanical Gardens. A apenas 20 minutos do teleférico, você encontra a gruta natural de St. Michael, usada hoje para performances teatrais. Outra atração imperdível é o Rochedo de Gibraltar, que não apenas oferece vistas esplêndidas sobre a cidade e o mar, mas também irá deixar você cara-a-cara com uma das atrações mais inusitadas da região: os macacos

Granada (150 km de Málaga)

Esta é uma das cidades mais fascinantes da Andaluzia e muitas coisas para ver e fazer em Granada. A capital da Andaluzia fica no sopé das montanhas de Sierra Nevada e possui um património arquitetônico com valor inestimável. De suas raízes mouras até o Renascimento, sem mencionar as peças modernas e, é claro, Alhambra, há muita coisa para ver em Granada. Tomemos, por exemplo, a Capela Real, o mais importante monumento cristão da cidade. Erguido em um estilo gótico entre 1505 e 1517, onde você pode admirar o altar e as extraordinárias criptas de Isabella, Ferdinando e Giovanna La Pazza, além de Filipe I da Espanha.

 

Também não deixe de conhecer os mosteiros de Cartuja e San Jeronimo, ao norte da cidade de Granada. Em estilo barroco, eles exibem belas cúpulas douradas, afrescos e um deslumbrante altar de mármore policromado. Os visitantes de Granada também devem visitar O Parque Garcia Lorca, um pequeno oásis verde na casa de um dos poetas mais importantes do século XX: Federico Garcia Lorca.

 

Na colina em frente à Alhambra, encontra-se num dos bairros mais importantes de Granada: Albayzin ou Albaicin, que ganhou um lugar no coração dos turistas com suas ruas estreitas e pitorescas, além de ser um Património Mundial da UNESCO. 

O Alhambra (Granada)

Muitos visitantes vêm à Andaluzia especialmente para visitar um lugar: o Alhambra. Esta fortaleza extraordinária parece vir diretamente das páginas de "As Mil e Uma Noites" e conta histórias de muitas eras e culturas diferentes, que entrou para a posteridade com os estilos arquitetônicos utilizados na sua construção. As principais atrações são, sem dúvidas, os palácios Generalife e Nazaríes, que otimizam a experiência do visitante a este local mágico. No entanto, as visitas só são permitidas em determinados horários. Na verdade, existem três palácios: o pátio Mexuar, o Comares e Leeuwenhof, e eles são os exemplos mais importantes do estilo Arabesque em qualquer lugar na Europa.

 

No entanto, as visitas à Alhambra, o grande complexo Arabesque de Granada, geralmente começam a partir da Alcáçova, a parte mais antiga da fortaleza. Apesar de muito antiga, fica claro que o lugar estava no auge da sua importância durante o período árabe; ainda hoje, suas paredes parecem indestrutíveis. Partindo de Alcáçova, você entra na Torre de la Vela, ou torre da vela: uma vez utilizada como ponto de guarda pelos soldados, que vigiavam as fronteiras, e contém um sino que era usado para alertar para a presença de intrusos. Quando o Alcáçova já não tinha qualquer papel militar, o Jardim das Muralhas foi estabelecido, um belo jardim situado ao lado da entrada e que também dá acesso ao Palácio Charles V e ao complexo do Palácio Nazaries.

 

A Rua Real foi o fulcro da vida na cidade entre os edifícios do complexo de Alhambra e hoje ainda é a principal rua para ir de um lugar para outro dentro dessa estrutura esplêndida. Aproveite a oportunidade e conheça a Igreja de Santa Maria de la Alhambra, à direita da entrada e próxima ao Palácio Charles V. Perto da igreja, você também encontra o Museu de Angel Barrious, um músico bastante famoso. Entre e conheça os banheiros árabes, uma vez ligados à Mesquita e, certamente, uma das áreas mais bonitas e emblemáticas do complexo.

 

Descendo a rota pela Rua Real, você chegará a algumas das mais belas partes da cidade, como o Portão de Justiça e o Pilar de Charles V. As outras portas de entrada para o Alhambra não são tão bonitas como o Portão de Justiça, mas têm seu próprio charme e não devem ser negligenciadas. Faça uma viagem para a Torre dos Sete Andares, a Torre de Armas e o Portão do Bairro Pobre, para uma experiência verdadeiramente completa na cidade. Perto da estrada principal Medina encontra-se o sítio arqueológico do Palácio Abencerrajes, uma escavação esplêndida que reflete a história diversa da área e onde a escavação ainda está em andamento.

 

A Alhambra é sinônimo de água: a mesma água que nasce nas fontes, passa por riachos e é espalhada por toda a cidade. Mas como é que este recurso precioso (e escasso) chega à cidade? Através do Acequia real, um canal equipado com um sofisticado sistema hidráulico que durante séculos água transportada do rio Darro para abastecer as fontes no complexo de Alhambra. 

Cordoba (160 km de Málaga)

Sem dúvida uma das cidades mais belas e sugestivas da Andaluzia, Córdoba, antiga capital do império árabe e hoje o lar de algumas das mais belas mesquitas na Europa. Apesar de ser uma cidade pequena, Córdoba é muito especial: o fato de que o local contém mais Patrimônio Mundial da UNESCO do que qualquer outra cidade do mundo é a prova disso.

 

A primeira coisa a fazer quando chegar é ir até a Mesquita de Córdoba (Mezquita de Cordoba), uma antiga mesquita com uma catedral - que se tornou um lugar sagrado após a reconquista do território. A mesquita, que fica no centro da cidade e é um exemplo perfeito da arquitetura islâmica, foi usada em 711 simultaneamente como uma igreja e mesquita.

 

Outro marco importante é a Ponte Romana de Córdoba que atravessa o Guadalquivir e, com 240 metros de comprimento, é uma das principais atrações da cidade. Ela foi construída por Augusto, um imperador romano de origem espanhola, e é o símbolo da cidade. Nas duas extremidades, ficam as torres da ponte, impondo arcos que dominam a estrutura, e a Torre de Calahorra, que hoje abriga o Museu de Três Culturas.

 

Outro ponto de interesse na cidade é a Judiaria, ou bairro judeu de Córdoba, onde as casas brancas com pequenos jardins oferecem ao turista um vislumbre da vida com o cruzamento de várias culturas, onde flores cobrem as paredes em uma tela que atinge o auge da sua beleza no Callejón de las Flores. Sugerimos que você também visite a sinagoga, a única em Andaluzia, que foi construída em estilo mudéjar.

 

A próxima parada é Medina Azahara, uma cidade a 8 km de Córdoba erguida pelo governante árabe Aderraman III, que usou 4.300 colunas em sua construção, dos quais apenas alguns entulhos permanecem até hoje. A cidade foi construída para sua esposa, az-Zahara, mas depois de apenas 70 anos foi abandonada e destruída - apesar de ser hoje um Património Mundial da UNESCO. O Palácio de Viana é uma parada essencial em qualquer passeio a Córdoba: com 12 pátios, ele começou sendo uma casa e foi ampliado para se tornar um verdadeiro palácio. A arquitetura faz uso de flores, elementos naturais, geometria e fontes de água combinados com esplêndidos interiores que abrigam várias pinturas de Goya, móveis antigos e uma biblioteca contendo mais de 7 mil livros.

Visite Málaga com a Costa Cruzeiros

 

Uma encantadora mistura de culturas e estilos, Málaga vai tirar o seu fôlego. Aproveite as excursões da Costa Cruzeiros e vivencie o encanto atemporal desta encantadora cidade, admirando alguns dos seus muitos tesouros, como a Catedral, Alcáçova e o Castelo de Gibralfaro.

Procure seu próximo cruzeiro