Com paisagens exóticas, atrações incríveis e um povo sempre sorridente, a cidade caiu no gosto dos viajantes que querem aproveitar um destino encantador sem ter que gastar muito para isso. Pense no cenário que te aguarda. Prédios modernos entre ruas estreitas, cheias de casas pequenas bem antigas. Letreiros gigantes e luminosos misturados com templos budistas em uma paz absoluta. Renomados chefs de cozinha, junto com barraquinhas de comida de rua.

Possivelmente a cidade mais visitada do Sudeste Asiático, não há qualquer problema para encontrar o que fazer em Bangkok, pois atrações não faltam na

 capital da Tailândia. Enorme, cosmopolita e multicultural, Bangkok, com todo seu caos, impregna a todos que ali pisam. É impossível visitá-la sem deixar o ar da cidade te contagiar. Um roteiro por Bangkok apresenta tudo aquilo que sonhamos sobre a Ásia, desde suas originalidades aos seus clichês.

Ao procurar o que fazer em Bangkok, é possível dividir a cidade em blocos temáticos e conhecer um pouco de cada região, com suas características mais distintas. A cidade provoca os viajantes dos mais variados perfis, desde os que estão indo querendo visitar seus imponentes e milenares templos, até os que estão atrás de badalação.

E mesmo assim, ao ir embora da cidade, independente do tempo passado lá, o turista sempre terá a sensação de que não viu tudo.

Prepare-se para um delicioso choque de cultura e para ficar impressionado com tudo o que fazer em Bangkok: a capital tailandesa é uma cidade cheia de atrações e de contrastes, que misturam o velho com o novo na medida ideal para encantar qualquer visitante. Aliás, não faltam turistas em Bangkok: ela está no topo da lista de cidades mais visitadas do mundo, com milhões de turistas a cada ano. É muita gente, muito barulho e muito fascínio: Bangkok consegue nos trazer satisfação e paz de espírito em meio ao caos.

Não sabe por onde começar? Aproveite essa lista completíssima com tudo o que fazer em Bangkok: conheça esses passeios imperdíveis para se fazer na cidade e aproveite nossas dicas para curtir ao máximo sua viagem pela capital tailandesa:

Historia da cidade

Bangkok, capital do país dos Thai, foi fundada em 1782 pelo rei Rama I. Antes da fundação da capital de Siam (como a Tailândia foi chamada até o século XX), o povo Thai, originário do rio Yuanan e deslocado pelos chineses até o sul, tinha se organizado ao longo de sua história em três reinos com suas respectivas capitais.

O primeiro reino teve sua capital em Sukhothai, foi fundado em 1238 e perdurou até 1350. Os Thai proclamaram sua independência dos Khmer e criaram o reino de Siam. O segundo reino teve por capital Ayutthaya e governou Siam de 1350 a 1767. O reino de Ayutthaya foi fundado pelo rei Ramathibodi I. Ayutthaya, cruzada por diversos leitos de água, chegou a ser batizada como a “Veneza do Oriente” e seu nome significa “cidade impenetrável”.

Depois de anos de luta, o reino de Ayutthaya caiu nas mãos dos birmanos, que saquearam e destruíram a cidade em 1767. No mesmo ano, os tailandeses, com o rei Taksin o Grande à frente, expulsaram os birmanos e transferiram sua capital a Thonburi, nascendo um reino que se manteve por pouco tempo. Em 1782, a capital foi transferida à recém-nascida Bangkok

Quando o general Chao Praya Chakri chegou ao trono de Siam com o nome de Rama I, temendo uma nova invasão dos birmanos, mandou construir um palácio na outra margem do rio Chao Phraya para, em caso de ataque, poder fugir facilmente. Na outra margem existia um pequeno povoado chamado Krung Thep "cidade dos anjos" e que, com o tempo, adotaria o nome de Bangkok.

A denominação de Bangkok provém de uma pequena aldeia próxima de pescadores chamada Ban Kok, “aldeia das oliveiras”. Essa aldeia existia há muito tempo e era a base dos comerciantes europeus no caminho da antiga capital Ayutthaya e do sudeste asiàtico. Bangkok passou a ser a capital definitiva de Siam, um país que na metade final do século XX passou a se chamar Tailândia.

Bangkok é uma cidade cortada por diversos canais, já que a cidade foi criada imitando a antiga capital Ayutthaya. Hoje em dia muitos foram eliminados para aumentar a rede viária. Tailândia em Bangkok têm uma peculiaridade: nunca foram colonizadas por uma potência europeia! Aproveitando a rivalidade franco-britânica na região, se tornaram um estado ponte entre os países do sudeste asiático influenciados pelos franceses (Indochina) e pelos britânicos (Índia e Birmânia).

Sua independência teve um preço. Siam teve que assinar um acordo comercial benéfico para os interesses britânicos e ceder três províncias meridionais que hoje fazem parte da Malásia. Durante a Segunda Guerra Mundial, a Tailândia se aliou ao Japão e Bangkok sofreu o bombardeio dos aliados durante 1944 e 1945. Depois da derrota japonesa, a Tailândia se tornou aliada dos Estados Unidos. Desde o final da grande guerra até a década de 1990, a Tailândia vive uma conturbada história, com diversos golpes de estado. Hoje se define a si mesma como uma democracia moderna.

Como se mover na cidade

Como é uma cidade enorme, Bangkok oferece várias formas de locomoção que pode utilizar para admirá-la.

Se prefere a velocidade, o skytrain, o metrô, os barcos no canal “Khlong Saen Saeb” e os moto-táxis são rápidos porque não dependem do tráfego de automóvel. O metrô é muito eficiente, mas não atinge todas as partes de Bangkok.

Se prefere a comodidade tem que escolher os táxis que são confortáveis e climatizados. Eles devem ser a forma preferida de transporte para a maioria dos casos. Um barco no rio Chao Phraya é confortável. Surpreendentemente, (quase) não vi nenhum acidente em Bangkok, os motoristas de todos os tipos de veículos estão muito concentrados na condução.

Se precisa economizar, tuk-tuks e ônibus são perfeitos para você além de ser uns meios de transportes muito característicos. 

Templo Wat Pho

Wat Pho, a segunda principal atração turística de Bangkok, está localizada não muito longe do Grande Palácio e é facilmente acessível a pé. É um dos mais antigos templos budistas do país. Lá dentro, você pode admirar o maior Buda reclinado da cidade: 45 metros de comprimento e 15 metros de altura! A estátua representa a morte de Buda. Durante o passeio, não se esqueça de admirar as solas dos pés: elas são incrustadas de pérolas e decoradas com símbolos. Esse Buda é muito comum nos países budistas e representa o momento em que Sidarta Gautama (ou Buda) chega ao nirvana e morre.

O complexo é enorme, são vários pátios repletos de pagodas, estátuas, templos menores e cantinhos onde dá para ter um pouco de paz no meio do caos de Bangkok. O sítio, que fica dentro de uma muralha, possui um templo central, o Phra Ubosot. Ele é o mais importante do complexo, que em seu exterior são encontradas as 400 estátuas de Buda trazidas pelo rei Rama I para o local.

O templo também é conhecido por ter sido ali inventada a massagem tailandesa, sendo esta ensinada e praticada no local até os dias de hoje. O Wat Pho é o templo mais antigo de Bangkok, começou a ser construído no século 16 quando a capital da Tailândia se mudou de Ayutthaya para Bangkok. O lugar está repleto de histórias para contar.

Saket

O Wat Saket é outro templo que oferece um belo cenário do centro da cidade. A construção está localizada no topo do Monte Dourado, uma pequena colina artificial que, no passado, já foi o ponto mais alto de Bangkok. Ele permite desfrutar de uma vista de 360 graus sobre a Capital. Para chegar lá, você terá que subir alguns degraus, mas na verdade nada insuperável! Ao longo do caminho, você encontrará fontes e estátuas, além de vários gongos aos quais você pode tocar para atrair sorte, amor ou dinheiro. É muito famoso entre os tailandeses, pois é um lugar sagrado durante a peregrinação da “Temple Fair”, cerimônia budista que ocorre todos os anos em novembro.

Esta colina foi parcialmente construída, em parte deixada formar-se naturalmente, sobre as ruínas de uma estufa gigante desmoronada. À altura de mais de 80 m, isto coloca-o acima da rede de canais navegáveis, aglomerados de mosteiros, e à distância, o Palácio Real. Não espere ruínas fotogênicas, embora a serenidade do lugar o faça pensar em entrar na monarquia. Fique o tempo suficiente para apreciar o pôr-do-sol.

Apesar da sensação de serenidade - ou, se você pensa como um budista, em sintonia com ela - Wat Saket pode ser associado à morte. No passado, funcionava como o principal templo funerário de Bangkok. Durante os surtos de cólera em meados do século XIX, o crematório do templo não conseguia lidar com todos os corpos, e estes estavam amontoados à volta do mosteiro. Isto atraiu centenas de abutres, girando sobre a cidade. Um antigo provérbio tailandês compara os abutres de Wat Saket aos fantasmas de Wat Suthat, mas, hoje em dia, não é mais provável que você veja o primeiro do que o segundo.

Chinatown

Toda grande cidade asiática tem uma Chinatown, onde se concentram os imigrantes chineses, e Bangkok não é diferente e tem simplesmente o maior Chinatown do mundo. Sua porta de entrada é o belo Wat Traimit, um templo de fachada singular que protege a maior estátua de ouro do Buda do mundo. Dali o movimento converge na Yaowarat Road, que tem calçadas lotadas de lojas e à noite é um dos melhores pontos de comida de rua da cidade. Uma experiência sensorial e uma oportunidade de ver como Bangkok é, de certa forma, bem mais viva à noite do que de dia.

O comércio na região é imenso, com várias lojas espalhadas por ruas muito estreitas vendendo coisas que, na maioria das vezes, nem conseguimos reconhecer. A principal rua de Chinatown é a Yaowarat Road. Quando cai a noite, barracas de comida lotam as calçadas e os letreiros luminosos dão o toque especial a esse pedacinho tão caótico e interessante de Bangkok.

E logo atrás do templo está o China Gate, um portal construído em 1999, como símbolo da lealdade da comunidade chinesa ao Rei Rama IX da Tailândia. O bairro de Chinatown foi criado pela população chinesa imigrante quando Bangkok foi instaurada capital da Tailândia em 1782.

Em suas ruas encontramos barraquinhas de todo tipo: as mais típicas são as de roupa e comida, mas veremos inclusive alguns varais que não deixam muito claro qual é seu objetivo. Comerciantes chineses, nepaleses e indianos fazem com que essas ruas estejam repletas de vida a qualquer hora do dia.

Mercado Chatuchak

Bem-vindos ao maior mercado a céu aberto da Tailândia (é um dos maiores do mundo), o famoso Chatuchak. O local reúne mais de 15 mil barracas que vendem de tudo e onde é possível pechinchar bastante: roupas, calçados, acessórios, objetos de decoração, suvenires, comidas, entre outros. Por dia, são recebidos mais de 200 mil visitantes, sendo 30% turistas, mas é aberto só nos finais de semana.

 É difícil imaginar o tamanho desse lugar e o mundo de coisas que você vai encontrar por lá. Imagine um labirinto sem fim, com barquinhas que se cruzam de um lado para o outro e no meio delas muita, muita gente!! Assim é o Chatuchak Market… e por isso é tão legal!

Se prepare para ficar tonto com tantas coisas que você vai ver por lá: roupas, bijuterias, artesanatos, calçados, cerâmicas, plantas, antiguidades, produtos para animais e tudo mais que você possa imaginar.

Apesar do tamanho, o Chatuchak é bem organizado. As barraquinhas são segmentadas por categorias, então a melhor coisa è se perder naquele labirinto e sonhar de comprar tudo! Se ver algo que gostou, compre logo! Não deixe para voltar depois pois seu passeio pode se tornar uma missão impossível!

Khao San Road

Se você já começou a pesquisar o que fazer em Bangkok, certamente já ouviu falar sobre a Khao San Road: essa é uma das ruas mais turísticas e com a maior concentração de mochileiros por m² em Bangkok. A rua se estende por cerca de 1km. 

Khao San Road é uma área que nenhum viajante pode perder. Restaurantes, bares, música, alfaiates, massagens, vendedores ambulantes, barracas de comida, insetos, cavalos-marinhos, espetinhos de escorpião... Khao San Road é uma loucura! Se ao pôr do sol a rua já está animada, quando se aproxima a meia-noite as discotecas já estão bombando. Khao San Road é um dos lugares ideais para sair e começar, ou até mesmo terminar, uma noite louca em Bangkok. Se você gosta de vida noturna e quer conhecer novas pessoas, pode incluir a Khao San Road na lista.

A origem da Khao San Road data de 1892, quando o rei Rama V estabeleceu aqui o maior mercado de arroz da cidade (Khao significa arroz). Entre 1970 e 1980, começaram a aparecer acomodações baratas e se tornou uma zona hippie.  A rua atingiu o seu status atual graças ao mesmo fato que fez das ilhas Phi Phi um dos lugares mais concorridos do mundo, o filme A Praia, de Leonardo di Caprio, quando nas cenas iniciais o descreve como o "centro do universo mochileiro".

Caso não tenha ficado claro, a Khao San Road é um dos destinos obrigatórios em Bangkok. Além desta rua, você não pode perder a rua vizinha, Soi Ram Butri, que circunda o templo de Wat Chana Songkhram.

Ayyttahaya

Uma vez em Bangkok, muitos turistas se veem obrigados a visitar Ayutthaya na Tailândia, a antiga capital do país. Uma cidade hoje formada por ruínas a céu aberto, os templos de Ayutthaya são belos e únicos. Juntando sua proximidade de Bangkok à importância histórica que possui, Ayutthaya é um dos pontos altos em uma visita ao país.

Ayutthaya foi fundada em 1350 e pelos 400 anos seguintes foi a capital do Reino da Tailândia. Mais de trinta réis passaram por lá e a cidade sobreviveu a uma série de invasões dos vizinhos birmaneses, vindos do atual Myanmar. Só não resistiu à última delas, que aconteceu por volta do ano de 1767, razão pela qual foi abandonada. Recentemente, em 2011, a cidade sofreu com uma enchente que inundou a maior parte de suas ruínas. Mas Ayutthaya está destinada a resistir e hoje já está totalmente recuperada e com o turismo de volta a pleno vapor.

A cidade está a apenas 45 minutos de trem de Bangkok e por isso muitas pessoas escolhem visitar as ruínas de Ayutthaya como um bate-volta saindo da capital. Apesar de ser possível ir e voltar em um mesmo dia vendo muito do que a cidade tem a oferecer, Ayutthaya tem tudo pra fazer você querer ficar mais de uma noite.

A calma Ayutthaya pode ser também a pausa perfeita, mesmo para quem não gosta de ruínas. Um lugar para relaxar, andar de bicicleta, tomar um sorvete, passar o dia no sítio arqueológico, andando pelas pontes acima dos canais da cidade.

Ayutthaya é super tranquila e segura, podendo ser explorada sem ninguém e a qualquer hora do dia, sem medo. Tem o charme de uma cidade pequena, mesmo tão próxima de Bangkok e tendo sido um dia uma das maiores e mais populosas cidades da Ásia. O complexo de Ayutthaya possui muitas ruínas, algumas pequenininhas e sem nome, outras imensas e imponentes, mas todas com seu charme.

O que ver na Tailandia

“Terra dos sorrisos, a Tailândia é porventura, um ponto de vista puramente turístico, o mais atrativo país do Sudeste Asiático. A capital Bangkok, a cidade de Chiang Mai, as minorias étnicas em Mai Hong Son, ilhas paradisíacas como as Phi Phi ou Koh Tao, a histórica Kanchanaburi, a cultura e arquitetura de Ayuthaya ou Sukhothai, e praias, muitas praias e resorts de luxo, como em Phuket, fazem das viagens à Tailândia a imagem do perfeito bilhete-postal tropical.

A Tailândia é o país dos sorrisos! Seja em que situação for, pode-se sempre esperar um sorriso do outro lado e as pessoas são geralmente muito simpáticas e alegres, sempre a fazer brincadeiras, a dizer piadas e a sorrir. É um destino formidável, seguro, num mundo com hábitos e regras diferentes do ocidental, onde a alegria das pessoas faz toda a diferença. O país também é famoso pelas massagens que, de fato, se vêem por todo lado, desde casas elegantes com excelentes condições até à simples esteira de palha estendida na areia da praia. Nas mãos, nos pés, na cabeça, com óleo, sem óleo, para todos os gostos… É de experimentar todas!

Viajar para a Tailândia é o sonho de muita gente. Razões não faltam: praias paradisíacas, festas, cultura, segurança e infraestrutura turística. Como se não bastasse tudo isso, a população local é bastante receptiva aos turistas e o clima é sempre de alegria. A magia dos templos budistas, festivais e tradições encantam e trazem um ar ainda mais “exótico” ao ambiente. 

Muitas coisas pode ver na Tailandia: além da Capital Bangkok é uma das cidades antigas, que é impossível falar da Tailândia sem mencionar suas praias paradisíacas!  As praias mais famosas da Tailândia ficam na região Sul. Por isso, é comum ir de avião para Krabi e Phuket (Mar de Andaman) ou Koh Samui (Golfo da Tailândia). Além de aproveitar as atrações locais, também é possível explorar outras ilhas ao redor, como a badalada Koh Phi Phi e Koh Tao, entre outros destinos.

Dependendo da praia escolhida, há passeios para 4 Islands, Hong Island, Railay e Phang Nga Bay… De Phuket e Krabi também para aproveitar as festas e shows pirotécnicos na praia. Passeie também por outras ilhas do arquipélago, como Bamboo, Phoda e Mosquito Island.

Entre outros lugares que pode visitar aqui encontra Chiang Mai bem ao Norte do país e bem longe do litoral. Ela encanta com sua natureza preservada, atividades culturais e uma paz contagiante. Se você tiver algum tempo disponível e quiser conhecer “a verdadeira Tailândia”, muito além das praias, vale a pena visitar a cidade e ver o que de melhor ela tem a oferecer.

O Wat Phra That Doi Suthep é um dos símbolos de Chiang Mai. Encravado no alto de uma montanha, esse templo budista com belas pagodas douradas atrai visitantes o ano todo, que buscam tranquilidade e a melhor vista da cidade. Monges ao redor estão à disposição para fazer preces e abençoar, ou apenas bater um papo em inglês com os turistas para praticar o idioma. Além da massagem das feirinhas noturnas, a natureza também se destaca. Chiang Mai possui diversos parques bem preservados, repletos de montanhas, cachoeiras e rios perfeitos para a prática de rafting. Não deixe de aproveitar a oportunidade para fazer ao menos um dia de trekking com guias pela selva local e conhecer um pouco mais das surpresas escondidas no vasto território verde.

Acessível através de passeios bate e volta partindo de Chiang Mai, a cidade de Chiang Rai é famosa por ser lar do imponente Wat Rong Khun, ou “Templo Branco”, como é conhecido entre os turistas. Sem dúvida um dos templos mais interessantes da Tailândia. Ao redor, inúmeras esculturas de arte pop se misturam aos símbolos budistas, criando uma mistura no mínimo inusitada. O cenário surreal cria encontros improváveis de Buda com “O Predador”, além de criaturas fantasmagóricas, monstros e cenários apocalípticos. Tudo isso em meio a um ambiente completamente pacífico e acolhedor, o que torna a experiência ainda mais interessante – e merecedora de muitas fotos.

Você já deve ter ouvido falar da lendária “Ponte do Rio Kwai“. O que talvez não soubesse é que ela fica na Tailândia! A poucas horas de Bangkok, a cidade de Kanchanaburi guarda heranças da Segunda Guerra Mundial, além de quedas d’água paradisíacas. No país das praias, são as cachoeiras de Erawan que roubam a cena com seus diversos tons de azul. Se quiser pernoitar na cidade, opte por um hotel flutuante no rio Kwai. Inesquecível!

Se você é fã de arqueologia e passeios culturais, Sukhothai é um colírio, com mais de 190 ruínas em um amplo parque histórico. Alugue uma bicicleta e explore! Essa foi a antiga capital da Tailândia, bem antes de Ayutthaya. Mas atenção: enquanto Ayutthaya fica a pouco mais de 80 km de Bangkok, Sukhothai fica ao Norte do país, reservada aos mais exploradores. Para quem vai até Chiang Mai por terra (de trem ou ônibus), Sukhothai pode ser uma parada conveniente.

ilândia é repleta de parques nacionais, e o Khao Yai é um dos mais populares. A proximidade com Bangkok ajuda a atrair visitantes, que chegam todos os dias para contemplar a natureza preservada. Elefantes e tigres fazem aparições esporádicas e há sempre chances de avistar algum animal na estrada. Acampar é uma atração à parte, há estrutura pronta para isso: basta chegar e alugar a sua barraca! O nascer do sol visto do alto das montanhas é uma experiência única.

Descubra o Extremo Oriente no Cruzeiro Costa

Se està procurando uma viagem rica de novas experiências, sons, imagens, sabores e emoções diferentes dos habituais, os nossos cruzeiros ao Extremo Oriente è o que faz no seu caso.

Nosso cruzeiro para o Extremo Oriente levará você a descobrir as terras fascinantes de mil contrastes, onde o moderno adapta-se ao velho e nem o frenesi da vida é confrontado com a paz de espírito. Em cada país, alimentos com aromas inebriantes são combinados e até mesmo exaltam as emoções que se vive.