Bourdeaux é uma cidade intimamente ligada ao vinho, mas é também algo mais. Ao longo dos anos, conseguiu manter um caráter brilhante, também graças a um projeto de valorização que salvaguardou o seu centro histórico e os seus edifícios, salvando-a de uma situação de declínio. Antigo porto comercial, agora a capital da nova Aquitânia, tornou-se um lugar para viver com as suas atrações culturais e seus lazeres, sem esquecer a oferta gastronômica em constante mudança e evolução. As praias de Bourdeaux permitem também que você relaxe e aproveite uma tarde diferente. Agora descubra conosco tudo o que deve absolutamente ver.

  • O distrito de Saint Pierre
  • Praça da Bolsa de Valores e Espelho de Água
  • Praça da Vitória
  • Ponte de Pedra
  • Rue Saint Catherine
  • Catedral de Sant'Andrea
  • Torre Pey Berland
  • O Grande Teatro
  • A coluna dos Girondinos
  • Basílica de San Severino
  • O Grande Sino
  • Porta Cailhau
  • Museu do Vinho e do Comércio
  • Museu de Artes Decorativas e Design
  • Museu Nacional da Alfândega
  • CAPC - Museu de Arte Contemporânea
  • Museu de História Natural
  • Museu de Belas Artes
  • Museu de Ciências
  • Museu da Aquitânia
  • Jardim público
  • Base submarina
  • Parque Bordelais
  • Jardim Botânico

O distrito de Saint Pierre

Bem-vindo ao coração da cidade: um lugar pitoresco, repleto de vielas e ruas características. Saint Pierre é o centro da cidade velha e preserva os seus testemunhos. O seu início coincidiu com a área portuária: no século XIII, os navios carregavam os bens preciosos e se preparavam para partir e negociar. A área estava repleta de lojas e comerciantes e ainda hoje os nomes das ruas se referem às profissões que se exerciam então (Rua dos Joalheiros, Rua dos Comerciantes, Depósito de Cereais).

Passeando em liberdade, você descobrirá um passado rico e profundo, através do porto romano, agora alimentado por rios subterrâneos e estradas de guilda. A sua viagem vai levá-lo através de praças que conseguem alternar estilos e épocas, como palácios e linhas neoclássicas, que sabem ser acolhedores e equilibrados.

Praça da Bolsa de Valores e espelho de água

Foram necessários mais de 20 anos para realizar aquela que é a praça mais fotografada de Bordeaux. A Praça da Bolsa de Valores torna-se um lugar emblemático que marca o fim da cidade medieval, fechada, há séculos, dentro de suas muralhas e projeta uma nova imagem. A ideia era a de construir uma praça real que soubesse se abrir em direção ao rio Garonne e que desse um amplo espaço para respirar em toda a área. No século XVIII, foi o primeiro arquiteto de Luís XV, Jacques Gabriel, a criar uma praça doce, com cantos arredondados, mas com grande personalidade graças a decorações de ferro forjado e aos mascarões.

Esta praça tornou-se um símbolo, embora continue se transformando ao longo dos tempos. Durante a Revolução Francesa foi abatida a grade que separava a praça do rio enquanto, no centro, a estátua equestre do rei foi substituída pela de Napoleão. Em 1869, foi construída em seu lugar a Fonte das Três Graças e, depois da Praça Real e da Praça da Liberdade, foi chamada definitivamente Praça da Bolsa de Valores. A fazer de quadro existem também vários edifícios, como a Câmara de Comércio e o Museu Nacional da Alfândega.

Outra das atrações imperdíveis é o mundialmente famoso Mirroir d'eau (Espelho de Água). É uma obra construída em 2006: uma enorme superfície da água reflexiva que alterna jatos de vapor de água a outros momentos nos quais a instalação faz de espelho e exalta a beleza da praça. Você terá a oportunidade de viver um momento mágico e incomum, podendo se refrescar nas tardes quentes de verão ou admirar a praça de uma perspectiva diferente.

Praça da Vitória

Continuamos a nossa viagem pelas principais praças da cidade. A Praça da Vitória foi projetada em 1748 pelo arquiteto André Portier, que tornou este lugar monumental com a construção da Porta da Aquitânia. Existe outro símbolo que fascina os turistas e os visitantes desde 2005: uma enorme coluna com 16 metros de altura, realizada pelo escultor Ivan Theimer em mármore vermelho e bronze, para homenagear a viticultura e a produção de vinho que tornam a cidade famosa em todo o mundo.

A estrutura é composta por seis blocos de mármore para um peso total superior a 50 toneladas. Em cima, há símbolos gravados em bronze que recordam as histórias e mitos sobre o vinho, da antiguidade até os dias atuais. Outra curiosidade diz respeito à forma da coluna, helicoidal: simboliza o crescimento da videira que termina em direção ao sol.

Ponte de Pedra

A ponte de Pedra é outro dos símbolos de Bordeaux. Durante algum tempo representou a única ligação entre as duas margens do rio Garonne. Hoje representa um dos lugares mais encantadores e românticos mesmo para tirar uma foto, especialmente à noite, quando as luzes a iluminam e o tempo parece suspenso. A ponte foi construída em 1822, sob o domínio de Napoleão I e se estende por cerca de 500 metros. É composta por 17 arcos de acordo com a lenda, como as letras que compõem o nome de Napoleão Bonaparte.

Rue Saint Catherine

É impossível falar sobre Bourdeaux, sem mencionar a principal rua comercial: Rue Saint Catherine (amigavelmente chamada "Saint Cath"). Esta estrada, que serpenteia através de cerca de um quilômetro, toca quase todos os pontos principais da cidade. Rua pedonal desde 1977, é o orgulho dos cidadãos de Bourdeaux, pelas suas mais de 230 lojas que você encontrará durante a sua caminhada.

Não é apenas um lugar para espreitar entre as lojas e fazer compras mas, ao longo dos anos, tornou-se um lugar de troca e um ponto de referência para os jovens. Sempre muito lotada em quase todas as horas do dia, torna-se uma enxurrada de cores e pessoas, principalmente durante as vendas. Não faltam estandes e vendedores ambulantes que animam a atmosfera.

Catedral de Sant'Andrea

A primeira igreja da qual estamos falando é a Catedral de Bourdeaux, o maior lugar de culto da cidade. Classificada como monumento histórico francês em 1862, a Catedral de Sant'Andrea teve uma história repleta de mudanças e transformações, a partir de 1096, quando foi consagrada pelo Papa Urbano II. O estilo românico original foi transformado graças a Influências góticas. A nave foi reconstruída várias vezes, tanto no século XII como no século XIII.

O transepto e o coro foram adicionados dois séculos depois. No lado norte, encontra-se a famosa Porte Royale, construída em 1250. Não faltam tesouros, nem mesmo dentro da basílica, uma vez que ali é mantido um dos órgãos mais importantes do cristianismo e existem afrescos maravilhosos, entre os quais "A Última Ceia".

Torre Pey Berland

Ao lado da catedral encontra-se a Torre Pey Berland, que remonta aos anos 1400, o atual campanário da basílica. Construída em estilo neogótico, a estrutura foi desejada pelo Arcebispo Pey Berland: tem 66 metros de altura e está dividida em quatro níveis. Você pode chegar ao topo e ter um vista maravilhosa depois de subir os 231 degraus da escada em espiral. Não faltam curiosidades ao longo de sua história. Nos anos da Revolução Francesa a torre foi vendida e transformada em fábrica de balas de caça. Ela voltou a exercer o seu papel de campanário apenas no século XIX. Tornou-se um monumento histórico em 1848 e, como todo o centro histórico de Bourdeaux, faz parte do Patrimônio Mundial da UNESCO. Ao longo dos anos, a estrutura passou por várias reformas, uma das últimas em 2003.

O Grande Teatro

É um dos teatros mais bonitos do mundo e o mérito pertence ao arquiteto parisiense Victor Louis, que planejou tudo nos mínimos detalhes na época de Luís XVI. O edifício foi inaugurado em 7 de abril de 1780, após cerca de sete anos de trabalho. É um teatro neoclássico que tem uma fachada particular com um pórtico com doze enormes colunas coríntias. No entablamento sobressaem as estátuas de nove musas e três deusas, Vênus, Minerva e Juno. O teatro tem uma sala em forma de ferradura e palcos para o público.

Não é apenas conhecido por seus concertos sinfônicos, mas também pela produção francesa de balé, pois é também a sede do Ballet de l'Opéra National de Bordeaux. São também organizadas visitas guiadas diárias. A estrutura hospedou também brevemente a Assembleia Nacional do Parlamento Francês.  O interior do teatro foi reformado nos anos '90 para trazer de volta à luz as cores originais de azul e dourado.

A coluna dos Girondinos

É um dos monumentos simbólicos da Praça Quinconces: esta é uma coluna muito alta (43 metros) dos Girondinos, ativistas caídos após a Revolução Francesa. O trabalho pode ser definido como uma homenagem simbólica à democracia. Foi projetada pelo arquiteto Victor Rich, entre 1894 e 1902, e é dominada por uma estátua de bronze que simboliza a liberdade que quebra as correntes. Na base, se estende uma fonte decorada com esculturas de bronze com várias histórias mitológicas. O estilo alegórico tem influências maneiristas e barrocas. Nas bacias sobressaem cavalos-marinhos cercados por alguns seres humanos. As peças valiosas do monumento são os cavalos de bronze, que foram saqueados por soldados alemães e trazidos para a Alemanha. Eles só regressaram à França em 1983.

Basílica de San Severino

Outra das obras-primas de Bordeaux é representada por esta basílica, que se tornou parte dos monumentos históricos da França em 1840. Da estrutura românica original de 1200, permanecem ainda as arcadas, a cripta e a base da torre. Este edifício passou também por grandes transformações, a partir dos anos 1400, quando foram adicionadas várias capelas. Como todo o centro histórico, esta basílica é também Património Mundial da UNESCO.

O Grande Sino

Não há emblema mais importante para Bordeaux do que a porta do Grande Sino (Grosse-Cloche). O sino foi construído para anunciar todos os eventos da cidade, no entanto, hoje ele toca unicamente uma vez por ano, em 11 de novembro, a data que recorda o armistício que pôs fim à Primeira Guerra Mundial. Duas torres de 40 metros abraçam o famoso sino e o quadrante solar, que remonta a 1700 e representa o reino inglês. Aos pés surge a igreja de Sant'Eligio de 1400.

Porta Cailhau

Outro dos símbolos por excelência de Bordeaux localizado no bairro de Saint Pierre. Estamos falando da Porta Cailhau, a porta, não apenas metafórica, de entrada na cidade. Com 25 metros de altura, foi construída em 1494. Está localizada a poucos passos do rio Garonne e ao longo dos séculos mudou, tanto o seu aspeto, como a sua finalidade. Hoje parece uma construção cênica, de grande impacto, em estilo gótico renascentista.

No passado, teve várias funções, começando como um ponto de acesso do Parlamento para depois ser transformada em um lugar defensivo, como mostrado pelas brechas. No que toca à origem do nome, existem duas explicações: "cailhau" refere-se à pedra e indica o principal material de construção, mas é também o nome de uma das famílias mais poderosas e proeminentes de Bourdeaux.

Museu do Vinho e do Comércio

O vinho, historicamente, foi desde sempre um dos pontos fortes de Bordeaux, especialmente a nível económico. Basta pensar que o comércio de vinho começou a florescer no tempo dos romanos. No entanto, foi apenas com o domínio inglês que se verificou um desenvolvimento real, graças também ao monopólio com a Inglaterra. Esta história revive, em parte, no Museu do Vinho, dedicado ao passado do comércio deste "néctar" da Idade Média. A sede é muito característica, uma vez que existem tetos abobadados e as adegas evocam as coleções dos artesãos que produziam os barris. No final da visita, é também possível fazer uma degustação.

Museu de Artes Decorativas e Design

Que seja o Museu de Artes Decorativas e Design se nota logo já a partir da sede, um palácio de 1779 que pertencia a um nobre de Bordeaux. Ele representa os gostos e contém os detalhes do estilo de vida na época da Revolução Francesa. Você encontrará na coleção móveis, jóias, instrumentos musicais, ferramentas e instrumentos de medição, mas existem também serviços de mesa. Será uma viagem através da arte decorativa francesa e de Bordeaux até ao século XVIII.

Você vai descobrir uma cidade rica em comércio e influências, com um porto que foi de grande importância. As coleções permanentes se desenvolvem ao longo de três andares, enquanto as exposições temporárias são organizadas em uma espécie de dependência e há quatro salas pequenas dedicadas à restauração bourbônica.

Museu Nacional da Alfândega

Outro museu particular, localizado na maravilhosa Praça da Bolsa de Valores. Aqui você pode descobrir as etapas que levaram à criação do estado francês e obter informações sobre relações internacionais da França com o resto do mundo. No Museu Nacional da Alfândega é ilustrada, em particular, a história da administração até os dias atuais. O material que você pode encontrar em exibição é muito variado: obras de arte gráfica, armas, cartões, uniformes e instrumentos musicais. Dentro da estrutura existe também um modelo de navio negreiro: uma espécie de memória histórica do período do tráfico de escravos no porto de Bourdeaux.

CAPC - Museu de Arte Contemporânea

O Museu de Arte Contemporânea (CAPC) de Bordeaux nasceu em 1944 e logo se expandiu de uma pequena galeria para vários níveis de um edifício. Os seus números são importantes pois incluem mais de 180 artistas e mil obras, variando da arte conceitual, à arte pobre até tocar a Land Art. A coleção vai dos anos 60 até os dias atuais. Ao lado da exposição permanente se alterna um programa denso de exposições temporárias e investigações. O orgulho da estrutura é a biblioteca que abriga mais de 40 mil livros ligados à arte em todas as suas formas. Existem volumes de design, fotografia e arquitetura.

Museu de História Natural

Um dos museus mais antigos e completos da França: este é o cartão de visita do Museu de História Natural de Bordeaux. Os números falam claramente: inaugurado em 1879, hospeda mais de 3.500 exemplares. A estrutura foi recentemente submetida a um restyling que transformou os espaços, ofereceu um novo visual e criou um cenário inovador. Em particular, um espetáculo multimídia anima a grande galeria garantindo que os animais ganhem vida em seus habitats naturais. Entre as espetaculares instalações existe também uma baleia azul suspensa no teto. O museu prevê também uma seção particular dedicada às crianças com menos de seis anos, que oferece informações sobre todos os filhotes do reino animal.

Museu de Belas Artes

Outro museu imperdível em Bourdeaux é o das Belas Artes. É um edifício histórico inaugurado em 1881, que o aproximará aos grandes nomes da pintura europeia. Aqui, os artistas expostos são todos de grande nível. Entre as 330 obras, em uma viagem entre pinturas e esculturas, você pode admirar Picasso, Tiziano, passando por Delacroix Renoir, Matisse, Rubens ou Velasquez. Não faltam sequer obras de arte de Perugino, Van Dyck e Paolo Veronese.

Se você não estiver com disposição para muitas noções, poderá escolher uma visita ainda mais informal em uma atmosfera lúdica para descobrir informações curiosas, por exemplo, a qual escola pertence um artista em particular ou quem é o autor de uma pintura em evidência dentro da parede. A coleção se desenvolve em dois espaços dentro do Palácio de Rohan: as de 1500 a 1800 estão localizadas na ala sul, enquanto na ala norte se encontram as obras do Século XIX a XX.

Museu de Ciências

Um centro de exposições e interativo dedicado à Ciência: este é o Cap Sciences, hospedado dentro de um hangar. Existem vários espaços dedicados também aos mais pequenos, além de laboratórios e visitas guiadas. É uma verdadeira aventura científica: existem exposições temporais e você poderá comprar lembranças particulares ou de relaxar em um bar especial. O centro foi inaugurado em 1970 com o objetivo de valorizar a cultura científica.

Museu da Aquitânia

Dizem que para descobrir e compreender realmente Bourdeaux, você precisa ir ao Museu da Aquitânia. Aqui estão alojadas várias coleções que variam da pré-história à era contemporânea. Ao estudar a arqueologia e etnografia da Região da Aquitânia você vai conhecer personagens famosas ou misteriosas como Eleonora da Aquitânia, o filósofo Montaigne ou o príncipe de Gales, conhecido como o príncipe preto. Mais de 70 mil peças são exibidas, um décimo vem da África e da Oceania, incluindo objetos relacionados ao comércio e à história do porto de Bourdeaux. O museu está localizado no centro da cidade, perto da catedral de Sant'Andrea.

Jardim público

Você está na cidade, mas terá a impressão de estar no campo. Imagine um lugar onde as linhas de Bourdeaux e as suas pedras se misturam com a arquitetura do século XVIII, em um contexto em que aparece um riacho, cercado por árvores centenárias. Aqui você pode descansar, correr ou simplesmente caminhar. O jardim público é um parque que acompanha os cidadãos desde 1746: um espaço de mais de 11 hectares onde as crianças podem se divertir ou assistir aos tradicionais espetáculos de marionetes. No interior existem vários edifícios nobres e também o museu de História Natural, o jardim botânico, de que falaremos mais tarde, e um restaurante agradável.

Base submarina

Imagine um bunker gigante construído por soldados alemães durante a Segunda Guerra Mundial para abrigar submarinos. A base submarina está localizada no distrito de Bassins à Flots. Este lugar fora do tempo, dividido em alojamentos ligados entre si por uma estrada interna, tornou-se um local dinâmico que acolhe exposições, shows e concertos em uma atmosfera muito particular e única. A base submarina foi construída entre 1941 e 1943 e cobre mais de 41 mil metros quadrados.

Parque Bordelais

Outro pulmão verde de Bourdeaux cheio de surpresas. O Parque Bordelais foi projetado em 1800 e cobre mais de 28 hectares em um cenário fantástico com protagonistas mais de 3 mil árvores. Não há apenas natureza no centro da área, mas existem também muitas atrações para os mais pequenos, começando com os carrosséis, um trem e carros elétricos. Existe também uma espécie de fazenda local com cisnes e patos e um teatro onde são organizados espetáculos de marionetes.

Jardim Botânico

Dentro do Jardim Público encontra-se o jardim botânico que, em 2004, foi revisitado pelo arquiteto paisagista francês Catherine Mosbach. Apresenta-se com um espaço com uma forma alongada que está dividido em três áreas distintas, uma galeria que inclui várias paisagens naturais, um espaço destinado às culturas e o jardim da água que se estende em direção à margem do rio e possui vários espelhos de água. É muito relaxante passear na área e descobrir alguns dos habitats do sudoeste da França.

Parta para Bordeaux com a Costa Cruzeiros

 

Vinhos, pratos de qualidade, vislumbres, belezas naturais e atividades culturais. Bordeaux, que seja a sua primeira escolha, ou uma surpresa agradável, não o vai decepcionar. Será por seu carácter de liberdade, que você também encontrará nas degustações, ou por sua identidade que ao longo dos anos a está transformando em um lugar cada vez mais elegante e conhecido, com um patrimônio cultural invejável. Descubra as suas linhas neoclássicas e os seus bairros que sabem como esconder uma alma rock e escolha-a como seu itinerário de férias.

Viaje com a Costa Cruzeiros