Fazer uma viagem para o Egito é o sonho de muitas pessoas. Mas não é à toa. O país é dono de construções impressionantes! As Pirâmides de Gizé, considerada uma das 7 Maravilhas do Mundo Antigo, além do deserto do Saara e muitas outras atrações que você jamais verá em qualquer outro lugar do planeta, vão te deixar encantado! 

O Egito é um destino famoso pela história riquíssima, monumentos imponentes ao lado do poderoso rio Nilo. Você não pode deixar de visitar Cairo, a capital. Lá você encontrará um dos maiores museus do mundo, o Museu do Cairo. O lugar é repleto de múmias, esculturas e outras raridades.

Terra dos mistérios, superstições e da moderna arqueologia, o Egito fascina com sua rica história, grandes monumentos, o rio Nilo e o maravilhoso Mar Vermelho. A civilização egípcia surgiu no IV milênio da era comum e viviam unicamente da agricultura. Por volta do ano 4.000 a.C, formaram dois reinos: do baixo e alto Egito. Oitocentos anos depois, Menés, governante do alto Nilo, juntou os dois reinos e se tornou o primeiro faraó.

Egito, o maior e mais populoso país do mundo árabe, localizado em dois continentes: África e Ásia (na região de Sinai). Noventa e sete por cento de seu território é composto por deserto e noventa e três por cento de sua população vivem nas margens do Rio Nilo, a verdadeira fonte de sobrevivência de 6.600 km de extensão, considerado o maior rio em extensão do mundo. Os ventos sopram para o Sul, porém suas correntes vão em direção ao Norte, desaguando no Mar Mediterrâneo.  Sem o Nilo os egípcios não conseguiriam criar um império tão poderoso, monumentos tão gloriosos e uma história brilhante.

Leia neste post todas as dicas sobre as dez coisas pra fazer e ver nesse país, um cruzeiro virtual percorrendo o Egito de Norte a Sul, passando:

Cairo

Pense numa cidade com trânsito caótico, muita poluição, barulho e poeira. Isso não parece um destino turístico que atraia milhares de visitantes e não seria se não fosse o Cairo e sua história fascinante, traduzida em cartão-postal pela suas pirâmides e outros monumentos milenares. A dinâmica e movimentada capital do Egito é a maior cidade do continente africano.

A apenas alguns quilômetros do Centro do Cairo encontra-se o platô de Gizé, com as grandes pirâmides de Quéops, Quéfren e Miquerinos, além da Grande Esfinge. Você pode ficar um pouco decepcionado ao descobrir que esse imenso conjunto fica tão próximo à urbe, mas lembre-se que, tal como diria Napoleão, do alto de quarenta séculos de história nos contemplam.

Um pouco mais distante estão outras importantes pirâmides, em Dashur (40 km) e Sacará (30 km), consideradas os protótipos de suas irmãs maiores. Conhecê-las é um passeio agradável e bastante educativo.

Uma das melhores atrações da cidade é o Museu do Cairo, que mereceria um trabalho de arqueologia por si só, tal é a confusão como suas preciosidades são exibidas. Pobres múmias estão expostas por todos os cantos, mas estátuas de grandes faraós como Amenhotep III, Ramsés II e Akhenaton enchem os olhos, preparando-nos para o grande destaque da mostra, os tesouros do rei-menino Tutankamon.

Apesar de tanta história absorver seu tempo na capital, não deixe de visitar monumentos da cidade islâmica, como a Cidadela de Saladino, onde há excelentes demonstrações de dançarinos sufi, e belas mesquitas, como a de Al-Azhar. Isso sem falar do imenso mercado de Khan-El-Khakili, um divertido labirinto onde quinquilharias e preciosidades o aguardam para uma intensa negociação. Fora da cidade, dê uma esticadinha ao oásis de Siwa.

Alexandria

Visitar Alexandria, no Egito, é como fazer uma viagem em seu livro de história e ainda ter a oportunidade de conhecer belezas fascinantes e únicas. O motivo é simples e ao mesmo tempo repleto de detalhes. Alexandria é uma das cidades mais antigas do mundo, construída cerca de 334 a.C.

Moderna e repleta de locais históricos, ela foi fundada pelo conquistador grego Alexandre, o Grande. O nome de seu fundador influenciou no nome da cidade e acabou tornando o Farol de Alexandria a sétima maravilha do mundo. Quem ama se aprofundar na história de cada cidade visitada em suas rotas turísticas tem motivos de sobra para ir em Alexandria, pois a sua biblioteca, construída em uma forma moderna de disco, que é a maior do mundo com documentos, livros e pertences do mundo antigo. É mais do que fazer uma viagem no tempo, é uma viagem sobre o tempo.

E como não ficar maravilhado com tantos detalhes históricos ao alcance de todos. Mesmo com as mudanças de domínio já conhecidas em livros de história e até filmes, a cidade resistiu e continuou sendo a capital do Egito por mil anos. Se surpreende também com seus pontos turísticos como Cidadela de Qaitbay, um enorme castelo que abriga também um farol e a Fortaleza de Qaitbay que, na verdade, é um museu.

Hoje a cidade se tornou o principal porto do Egito e atrai turistas tanto pela sua trajetória, quanto por suas belíssimas praias como Maa'moura ou Montaza que devem compor sua lista dos melhores lugares para visitar em sua viagem ao Egito!

Luxor

Deserto, templos e história, sem dúvidas Luxor é uma cidade que ultrapassou as ações do tempo e da natureza e sobrevive com sua herança enriquecedora. Durante as viagens para o Egito, Luxor é parada obrigatória.

Luxor encontra-se a 700 quilômetros ao sul do Cairo. A cidade tem quase 500 mil habitantes e vive basicamente do turismo e da agricultura. É banhada pelo rio Nilo e é a cidade que guarda mais monumentos históricos do Egito Antigo. A cidade possui monumentos como templos, obeliscos, santuários e câmaras mortuárias que já ultrapassaram milhares de anos e relatam a rica história da antiga civilização egípcia.

Em Luxor está concentrado o maior número de monumentos do Egito: o Templo de Luxor, que fica no Centro da cidade em frente ao Nilo e foi por causa deste templo, que Luxor ficou conhecida como o maior museu do mundo ao ar livre; o Templo de Karnak, outra atração espetacular que reflete a herança da antiga civilização; o Vale dos Reis e das Rainhas, o grande cemitérios dos faraós fica nas montanhas de Luxor, um grande vale no deserto cheio de tumbas escondidas; os Colossos de Mêmnon (Deus Grego), duas estátuas gigantes que ficam situadas na parte leste da cidade.

Enfim, não pode perder o passeio de Balão. Acordar no meio da noite e partir para uma aventura em Luxor pode ser extraordinário, o passeio de balão permite que você veja do alto a parte desértica, o vale do Nilo e os templos que estão espalhados pela cidade. Uma experiência formidável que vale a pena viver!

Assuã

Quando se pensa no Egito como destino, as pessoas quase sempre lembram do Cairo ou das muitas atrações de Luxor. Mas não pode deixar de conhecer Aswan ou Assuã, que fica às margens do Rio Nilo e que é um dos mais importantes destinos turísticos do Egito e o polo comercial da região.

Andando pelas ruas de Assuã, você percebe que ela tem cara de cidade do interior. Os prédios não são grandes, as lojas são simples e não existe um grande tráfego de veículos.

A cidade, com o clima agradável, conhecida como a “pérola do Nilo”, é o local onde está a primeira catarata do rio em território egípcio, há um monte de coisas para conhecer e uma história riquíssima. Com templos, muitas cores e uma paisagem incrível, Assuã te faz ser acolhido ainda por seus habitantes conhecidos por sua simpatia e cultura ímpar.

O principal ponto turístico de Assuã é o Philae Temple, realmente belíssimo e rico em história. Dedicado à Deusa Ísis devota de Cleópatra, conhecida por ser a deusa da maternidade, da fertilidade e da sexualidade, o templo guarda a história da deusa em suas paredes.

Além da imponência do monumento, há uma curiosidade e tanto que pode impressionar ainda mais: ele não está no local onde foi construído. Originalmente, o Philae Temple se encontrava na Ilha Philae. Como era uma zona de alagamento, a UNESCO elaborou um projeto em 1970 que consistia em desmontar o templo e montá-lo novamente em uma ilha próxima para tentar preservá-lo das inundações.

Sharm El Sheikh

Sharm El Sheikh é o paraíso do mergulho no Mar Vermelho E um balneário egípcio localizado entre o deserto da península do Sinai e o mar Vermelho na parte leste do país, relativamente longe das outras cidades.

Banhada pelo Mar Vermelho, Sharm El Sheikh é uma cidade praiana famosa pelo seu mar de água realmente cristalina cheio de peixinhos coloridos e corais e um destino para mergulho. O clima já é bem diferente do resto do Egito, mesmo no inverno lá a temperatura é agradável e o ar parece menos empoeirado.

A praia completamente privada é realmente linda, o mar é cristalino (parece água mineral!) e bem na beirada já dá pra ver muitos peixinhos coloridos. Mergulhar ou fazer snorkeling em Sharm El Sheikh é um passeio obrigatório! Sharm El Sheikh foi uma cidade projetada para ser uma “nova Ibiza”, pensada para quem quer passar as férias na praia. Aqui espere só muita natureza, um Egito totalmente diferente, mais limpo e organizado, com bons restaurantes e grandes hotéis.

A região é cercada de lojinhas de souvenir, roupas, objetos decorativos. Prepare-se para ser abordado com muitos pedidos para entrar e conhecer as lojas e para deixar um recadinho no livro, eles adoram pedir isso. 

Imperdível fazer um passeio de barco pelo mar vermelho. Os mais procurados são para a Tiran Island e Parque Nacional Ras Muhammad: aqui a água é surreal e pode ver corais riquíssimos e muitos peixes.

O calçadão de Naama Bay é bem agitado à noite, com vários restaurantes, bares, boates e gente circulando nas ruas. A praia não é das mais bonitas de Sharm El Sheikh, mas pode encontrar algumas atividades aquáticas legais por lá, como wake, mergulho, snorkel e parasail. Lá tem Hard Rock Café, Pacha.

Outros passeios que você pode fazer a partir de Sharm El Sheikh são a trilha no Monte Sinai, local sagrado onde Moisés recebeu os 10 mandamentos.

Gizé

Gizé ou Guizé ou Guiza é a terceira maior cidade do Egito. Localiza-se na margem ocidental do rio Nilo, a cerca de 20 quilômetros a sudoeste do centro do Cairo. A cidade é capital da província de Gizé, é o segundo maior subúrbio do mundo, juntamente com Incheon, na Coreia do Sul, e Cidade Quezon, nas Filipinas, atrás apenas de Yokohama, no Japão.

Gizé é célebre por ser o local onde se encontra o Planalto de Gizé, onde estão alguns dos mais impressionantes monumentos antigos do mundo, incluindo um complexo de estruturas sagradas e fúnebres do Egito Antigo, como a Grande Esfinge, a Grande Pirâmide de Gizé e diversas outras pirâmides e templos. A Grande Pirâmide de Gizé chegou a ser proposta, em 1884, como a localização do meridiano primordial, um ponto de referência utilizado para a determinação de uma longitude.

Situadas no Planalto de Gizé, a 18 quilômetros do Cairo, as Pirâmides são os monumentos mais conhecidos do Egito e alguns dos mais antigos do mundo. As três pirâmides de Gizé mais importantes Quéops, Quéfren e Miquerinos. Além dessas, há muitas outras pirâmides menores. Os faraós eram mumificados e introduzidos nas pirâmides junto com alguns alimentos e seus pertences mais apreciados para que os acompanhassem em sua última viagem. Ainda que a data da construção das grandes pirâmides seja desconhecida, estima-se que as obras começaram por volta do ano 2500 a.C.

Não se pode perder também de visitar tudo isso na noite e ficar encantado com um espetáculo de luz e som sobre as Pirâmides, uma experiência muito especial, inesquecível!

Abul-Simbel

Abul-Simbel é um complexo arqueológico constituído por dois grandes templos escavados na rocha,situados no sul do Egito, no banco ocidental do rio Nilo perto da fronteira como Sudão, numa região denominada Núbia, a cerca de 300 quilómetros da cidade de Assuão. No entanto, este não é o seu local de construção original; devido à construção da barragem de Assuão, e do consequente aumento do caudal do rio Nilo, o complexo foi trasladado do seu local original durante a década de 1960, com a ajuda da UNESCO, a fim de ser salvo de ficar submerso.

Estes enormes templos marcavam o limite sul do Império Egípcio com a Núbia, no auge de seu poder durante o Império Novo. Eles foram feitos para transmitir o poder dos governantes do Egito a qualquer um que colocasse os olhos sobre eles.

A capacidade arquitetônica da época era fenomenal, as grandes estátuas de Ramsés II e da sua esposa preferida Nefertari, que adornam suas fachadas, ainda hoje são inspiradoras. As quatro estátuas que guardam a entrada para o maior desses templos são as maiores esculturas que sobreviveram desde a era faraônica.

O templo maior está alinhado com o sol, de modo que duas vezes por ano o sol brilha em seus recessos mais profundos para iluminar uma estátua de Ramsés e os deuses aos quais o templo se dedica. 

Deserto Branco

Um incrível deserto que brota do chão esculturas é uma paisagem encantadora, uma obra de arte pintada pela natureza. Sem dúvida alguma é um dos locais mais belos do Egito.

Esculpidas pelo vento durante milênios, rochas de calcário no deserto Branco, ganham formas que lembram cogumelos, camelos e homens e podem alcançar a altura de prédios de dois andares. A maior parte do solo da região é coberto por pedras calcárias bem claras. Um fino pó branco pode ficar suspenso por dias depois de uma tempestade de vento.

A paisagem da região é naturalmente alucinante. Ao final do dia, a luz do sol poente faz com que as formações rochosas brancas adquiram uma tonalidade violeta inacreditável. E com a chegada da noite, é hora de olhar pra cima: o céu é subitamente tomado por estrelas que dominam o campo de visão do forasteiro e, se a lua estiver cheia, o solo volta a ficar iluminado para o deleite dos presentes.

O Deserto Branco tem a mesma capacidade de nos surpreender que os grandes monumentos nacionais, tais como as Pirâmides de Giza e os templos de Luxor, por exemplo. Esta área, que já foi coberta pelo mar, encanta seus visitantes por sua beleza e singularidade. E dificilmente você verá algo parecido em alguma outra parte deste mundo.

Mosteiro de Santa Catarina

O Mosteiro de Santa Catarina é um dos mais antigos do mundo. Foi construído em uma região no Sul de Sinai, conhecida também como o Monte Sinai.

O Mosteiro Ortodoxo da Transfiguração, em homenagem à transfiguração de Jesus, mais tarde chamado de Mosteiro de Santa Catarina, em honra à mártir cristã, foi construído por ordem do imperador bizantino Justiniano I, entre os anos 527 e 565, à volta do local.

O Mosteiro de Santa Catarina tem uma forma retangular, similar a uma fortaleza com uma muralha gigantesca. O mosteiro foi construído sobre um local elevado de 1570 m. sobre o nível do mar. A muralha é construída de pedra de granito, com torres espalhadas nos cantos. Os mais importantes elementos do mosteiro são: A Igreja de Santa Catarina, a Mesquita Fatimita, a Biblioteca, os poços, a prensa de azeite, dois moinhos, celeiros, as Celas dos monges, Casa dos hóspedes.

O Monastério foi declarado pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade, e anualmente recebe milhares de visitantes oriundos de várias partes do mundo, peregrinos ou apenas turistas que querem ver de perto esta atração tão importante para a história e para os cristãos.

Que comer no Egito

No Egito, a dieta principal é baseada nos grãos como fava, lentilha e grão de bico e é utilizado muitos temperos. Quibes, carnes, pães, saladas… tudo isso faz parte do dia a dia dos egípcios. Se você gosta de refeições com muitos temperos (e apimentadas), você vai se apaixonar pelas comidas típicas do Egito.

O Ful Medames ou Foul, nada mais é do que feijão que  os egípcios comem no café da manhã. Uma das comidas consumidas típicas do Egito desde a antiguidade, sendo que o Foul mais básico é feito com óleo e cominho. Pode ser acrescentado com ingredientes como alho picado, cebola, suco de limão, pimenta, além de outros legumes e especiarias.

Apesar de ser um prato conhecido fora do Egito, o falafel egípcio é tido como o mais gostoso do mundo. O diferencial dessa comida típica do Egito está no ingrediente principal. Ao redor do mundo é feito com grão-de-bico. Na receita egípcia, a base do falafel é o feijão de fava. Isso deixa o “bolinho” menos seco e mais claro. Essa é uma das comidas egípcias mais fáceis de encontrar pela cidade.

Essa é uma das comidas típicas do Egito! Se não quiser comer carne, o koshary é a opção mais gostosa, prática e barata. Os ingredientes são: dois tipos de macarrão (spaghetti e argolinha), arroz, lentilha, grão de bico, molho de tomate e cebola frita. Sim, uma bomba de carboidratos. O molho de tomate é bem temperado e você pode também acrescentar um molho de vinagre e alho para deixar o prato ainda melhor.

O mahshi (mashi ou marshi) é mais uma comida egípcia perfeita para vegetarianos. Além de ser uma das comidas típicas do Egito mais queridas pelos locais, muito presente nas casas egípcias. Basicamente é um legume recheado. O recheio é bem simples: uma mistura de arroz com molho de tomate e os deliciosos temperos da gastronomia egípcia. Além de um pouco de canela para tornar este prato único.

O shawarma é um “sanduíche” já popular no mundo todo. Com certeza é a comida egípcia mais fácil de encontrar no Cairo. Para todos os lados que você olha, lá estão as “torres” de carne bovina e de frango.
Uma comida de rua barata e gostosa. Das torres, as carnes são “desfiadas” e enroladas perfeitamente na massa. Geralmente, a carne é acompanhada do delicioso molho tahine, um molho de gergelim. O frango leva um molho de alho típico, o tomaya.

Um dos pratos típicos do Egito é o fattah servido no primeiro dia do Eid al-Adha, a festa do sacrifício. Os muçulmanos celebram a disposição de Abraão de sacrificar o próprio filho, conforme a vontade de Deus. O prato é basicamente pão crocante, arroz, carne e um delicioso molho de tomate com vinagre. A carne de cordeiro é usada apenas em ocasiões especiais.

O pombo recheado se chama Hamam Mahshi. O pombo é recheado com uma mistura de arroz com especiarias egípcias, como: canela, cominho, nozes, pimentas, cebolas, entre outros. O pombo é recheado e colocado para assar no forno. Depois de assado, os egípcios ainda fritam o pombo para finalizar.

Uma comida típica que não agrada a todos é o molokhia, mas é uma das receitas mais tradicionais. Remete até às comidas do Egito antigo. Há uma crença de que esse era o prato favorito dos faraós.

Como acompanhamento, eles gostavam de carne de coelho. Até hoje essa sopa é consumida acompanhada de alguma carne. Atualmente, o frango está entre os acompanhamentos preferidos. A sopa é feita da folha de Molokhia – uma folha típica do Egito que lembra o espinafre – coentro e alho.

Arroz cozido no leite com açúcar, coberto por canela e lascas de pistache é uma sobremesa simples e gostosa chamada Roz Bel Laban. Essa comida típica egípcia é servida em quase todos os restaurantes, sendo bem fácil de encontrar. Uma sobremesa apreciada por todos os egípcios.

Tradicional sobremesa egípcia originária do século 13 é o Umm Ali. O seu nome significa mãe de Ali e, segundo histórias, teria sido criada pela esposa do comandante na era de Ayyubid para comemorar vitórias. Basicamente, é um pudim de pão com pistache. O seu preparo é feito com pão, açúcar e leite e com uma cobertura de lascas de coco e pistache. Tradicionalmente é servida ainda quente, sendo um sucesso entre egípcios e estrangeiros.

Descubra o mar Mediterrâneo no cruzeiro Costa

Esta seria apenas uma parada do cruzeiro que estamos te oferecendo. Se você está procurando férias inesquecíveis que combinem o visitação de cidades maravilhosas cheias de cultura e história antiga, o relaxamento de ficar nas praias encantadas do mediterrâneo e a diversão das noites e dias dentro de um navio romântico que nunca dorme, o cruzeiro Costa no Mediterrâneo foi feito para você. 

Agora só falta decidir  "quando". Sim, porque esses lugares oferecem atrações em todas as estações do ano. No verão, se quer se sentir em férias, no inverno, se quer mergulhar em uma sensação incomum, na primavera e outono se você ama admirar as belezas da natureza. Faça agora a sua reserva conosco.