A Casa Batlló é um dos principais pontos turísticos de Barcelona. Localizada em uma das avenidas mais importantes da cidade, a obra foi idealizada pelo famoso arquiteto catalão Antoni Gaudí. 

Considerada uma obra-prima, a construção modernista chama a atenção dos que passam pela sua frente. Com uma fachada predominantemente ondulada e colorida, o prédio foi declarado Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO em 2005.

A Casa Batlló fica no centro de Barcelona, no Passeig de Gràcia, número 43, no bairro de Eixample. Ela está situada na Manzana de la Discordia, um quarteirão entre as ruas D’Aragó e Consell de Cent, assim como outros edifícios modernistas como a Casa Amatller, Casa Lleó Morera, Casa Mulleras e Casa Josefina Bonet.

Hoje a casa é privada, e pertence à Família Bernat. Desde 2002 está parcialmente aberta ao público. Alguns apartamentos continuam sendo alugados.

A inspiração de Gaudí e o que a família Batlló queria com cada cômodo do edifício ninguém sabe (Gaudì amava a natureza), mas há muitas referências ao ambiente marinho. 

O azul das paredes vai mudando num degradê conforme você vai subindo, o teto de alguns aposentos lembra ondas do mar, tartarugas e há janelas que parecem as brânquias de um peixe.

Vamos ver o que você precisa saber para visitar essa obra-prima:

História

Construída entre 1875 e 1877, a Casa Batlló foi encomendada por José Batlló Casanovas. O edifício já existia, era uma obra de Emília Sala Cortés, no entanto, Gaudí o reformou por inteiro, sendo um reflexo da época naturalista do arquiteto. 

Em 1903, o edifício foi adquirido por Josep Batlló i Casanovas, um homem de negócios muito rico e que era casado com Amália Godó Belaunzaran, da família dos condes de Godó, editores do jornal ”La Vanguardia”.

No começo, a ideia de Batlló era comprar o edifício para construí-lo de novo, mas se contentou com reformá-lo, encarregando o projeto a Gaudí. Foi Batlló, que ao ficar tão impressionado com a obra do arquiteto, o recomendou a seu amigo Pere Milà i Camps. 

De onde veio mais tarde a Casa Milà, mais conhecida como La Pedrera. Os moradores de Barcelona apelidaram o edifício de “A casa dos ossos” por causa das sacadas que se parecem com um crânio.

Antoni Gaudí, o arquiteto atrás da Casa Batllò

Antoni Gaudí era um dos arquitetos catalão com grandes inovações da estética modernista espanhola. Sua arte se destacou pela liberdade de forma, cor e textura voluptuosa. 

Nascido em 1852 e, depois dos estúdios, em 1883, Gaudí iniciou seu primeiro trabalho individual de grande porte, a “Casa Vicens”, uma casa de verão localizada em Barcelona, que apresenta abundantes elementos hispano-arábicos. 

Sempre no mesmo ano assume a obra da Sagrada Família e vira um dos arquitetos mais procurados da Catalunha. Nasceram assim muitas obras famosas encomendadas pelas mais importantes famílias de Barcelona como o Palácio Güell, a Casa Batllò, La Pedrera e o Parque Güell. 

No dia 7 de junho de 1926, Gaudí foi atropelado por um bonde quando cruzava a Gran Via com a Calle Bailén de Barcelona. Em consequência das feridas, Gaudi faleceu no dia 10 de junho de 1926, no Hospital de Santa Cruz e foi sepultado na Cripta da Sagrada Família.

Interiores

O local por dentro é tão diferente quanto por fora, e vale uma visita se você tiver curiosidade de ver como é uma casa arquitetada por Gaudí. Para criar um sistema de ventilação eficiente, Gaudí fez as janelas com diferentes aberturas. Dessa forma, é possível regulá-las manualmente sem ter a necessidade de abri-las totalmente.

E falando sobre a paixão de Gaudí pelos elementos da natureza, ele fez questão de incluir partes da Casa Batlló inspiradas no Mar Mediterrâneo. Ou seja, em cada andar há um vidro que lembra o mar. Dá a impressão de estar mergulhando ou submerso nas águas.

Gaudí não poupou sua criatividade ao planejar as varandas. Elas têm uma base de pedra em formato de concha e os trilhos são de ferro ondulado. Alguns olham para elas e as confundem até com ossos, caveiras ou tartarugas.

Fachada

A inteira obra foi inspirada principalmente no mar com suas formas onduladas e cores. Na fachada e nas sacadas dos pisos inferiores podemos observar referências de uma caveira humana, inclusive de ossos humanos. Tanto que era conhecida como a casa dos ossos. A parte superior (cobertura) estaria inspirada na história do patrono da Catalunha: São Jorge. Representaria o momento em que o santo se enfrenta ao dragão e o mata.

Ao criar a fachada da Casa Batlló, ele usou pedaços de vidro e resíduos de cerâmica. Essa técnica era uma das favoritas do arquiteto, já que seu objetivo era agregar valor estético e, ao mesmo tempo, tornar o projeto sustentável. A técnica Trencadis utilizada é uma espécie de mosaico com pedaços irregulares de cerâmica ou outros materiais fragmentados. Como resultado, além da fachada ficar muito bonita, ela reflete a luz do sol e nos dá a impressão de que o prédio brilha.

Ingressos

A compra pode ser feita tanto online pelo site oficial da Casa Batlló quanto na bilheteria do local. O preço para Adultos é de 25€; Estudantes, jovens entre 7 e 18 anos e maiores de 65 anos, 22€; residentes da Catalunha, 15€;

Para crianças menores de 7 anos a entrada é gratuita. 

Como esses valores são referentes aos ingressos comprados pelo site, se você optar por comprar diretamente na bilheteria, eles sairão 4€ mais caros, além das filas que possam existir no local eventualmente.

Ao entrar, é entregue aos visitantes um SmartGuide, um audioguia com experiência multimídia e realidade aumentada, disponível em 11 idiomas, entre eles português e inglês. A melhor opção é comprar os ingressos online, com antecedência e sem riscos. Além da reserva ser simples e rápida, tem a vantagem do cancelamento fácil porque está tudo gravado no celular.

Horários de abertura

A casa está aberta todos os dias do ano, das 9h às 21h. A entrada tem tolerância de 15 minutos e a visita dura cerca de uma hora; a última entrada é às 20h. Uma dica é visitá-la no dia 23 de abril, uma data especial para a Catalunha, já que se comemora o dia de São Jorge (ou Sant Jordi em catalão), o padroeiro da região.

Além disso, ela também marca o Dia dos Namorados e o Dia do Livro, tornando- se um importante feriado para os catalães. Como resultado, toda a cidade de Barcelona é colorada com flores e a Casa Batlló, por exemplo, é decorada com rosas vermelhas em suas janelas.

Outras atrações próximas

Ao contrário de outras obras de Antoni Gaudí, que não estão localizadas tão no centro da cidade, como o Parque Güell e a Sagrada Família, a Casa Batlló fica em uma das avenidas mais badaladas de Barcelona. Por certo, nela também se encontra outra construção de autoria do arquiteto catalão: a Casa Milà, popularmente conhecida como La Pedrera, situada apenas três quarteirões da Casa Batlló.

O Passeig de Gràcia é também uma parada obrigatória para quem quer fazer compras em Barcelona. Diversas lojas, principalmente de marcas famosas, têm endereço na larga e elegante avenida. 

Uma ótima opção para comer perto da Casa Batlló é o El Nacional. Localizado no número 24 do Passeig de Gràcia, o charmoso espaço gastronômico oferece bares e restaurantes com diversas opções, entre elas excelentes drinks bem como as tradicionais tapas. 

Perto de lá, descendo mais um pouco a avenida, está a famosa Praça Catalunha. Nela está situada a loja de departamento El Corte Inglés, ocupando um de seus quarteirões. Além dela, estão presentes Apple, a loja oficial do Barcelona FC e restaurantes mais populares como 100 Montaditos e McDonald 's.

Descubra o Mar Mediterrâneo em um cruzeiro da Costa

Esta seria apenas uma parada do cruzeiro que estamos te oferecendo. Se você está procurando férias inesquecíveis que combinem as visitações de cidades maravilhosas, cheias de culturas e histórias antiga, e com relaxamento de ficar nas praias encantadas do mediterrâneo, e as diversões das noites e dias dentro de um navio romântico que nunca dorme, o cruzeiro Costa no Mediterrâneo foi feito para você. 

Agora só falta decidir “quando". Porque esses lugares oferecem atrações em todas as estações do ano. No verão, se você deseja férias inesquecíveis, no inverno, se quer mergulhar em uma sensação incomum, na primavera e outono se você ama admirar as belezas da natureza.