Com uma área de 8.300 acres, o Parque Nacional da Tijuca é a maior floresta tropical urbana do planeta.

Rio de Janeiro é a única cidade do mundo que possui uma floresta tropical dentro de seus limites: o Parque Nacional da Tijuca. Esta "floresta urbana" é um oásis tropical de espaços calmos e abertos, com agradáveis ​​cascatas e alegres pássaros cantando. Em 1991 o parque foi reconhecido pela UNESCO como Reserva da Biosfera, o equivalente natural do patrimônio mundial da humanidade

A Tijuca é tudo o que resta da Mata Atlântica que um dia cercou o Rio de Janeiro. 

O coração da floresta é a área do Alto da Boa Vista na Floresta da Tijuca, que possui muitos recursos naturais e artificiais maravilhosos.

O parque é o lar de muitas espécies de pássaros e animais, incluindo iguanas e macacos, que o turista pode encontrar em uma das excelentes caminhadas; as trilhas são bem sinalizadas. Mapas de trilhas bons e gratuitos são fornecidos na entrada do parque.

A vegetação exuberante e as florestas tropicais da Tijuca também são um parque nacional e representam a maior floresta urbana do mundo. Nas piscinas naturais pode-se desfrutar de um refrescante banho em uma das belas cachoeiras. 

O Corcovado também pertence a este parque nacional, que fica fora do centro da cidade e pode ser alcançado de ônibus. Em muitas trilhas para caminhadas, pode explorar as plantas e animais da reserva da biosfera. A flora inclui, por exemplo, café, pães e árvores frutíferas e mangas.

Geografia

O Parque Nacional da Tijuca cobre a área urbana do Rio de Janeiro com muito verde.

O Parque da Tijuca é uma pérola verde em uma das maiores cidades do mundo, sua criação sancionou sua história. Justamente por ser uma grande área verde em meio a uma megalópole, o Parque Nacional da Tijuca também é alvo de constantes ameaças, principalmente devido à expansão das construções e à pressão exercida pelas inúmeras favelas que circundam a área protegida.

Do ponto de vista ambiental, o Rio de Janeiro é muito rico, pois possui muitas reservas naturais, parques e jardins. Algumas áreas de preservação ambiental da cidade são realmente imensas.

Do ponto de vista geográfico, o maciço da Tijuca divide as principais áreas da cidade: Zona Central, Zona Norte, Zona Sul e Zona Oeste. O pico mais conhecido é sem dúvida o Corcovado, pois é aqui que fica a famosa estátua do Cristo Redentor. Justamente por isso, o Parque Nacional da Tijuca é considerado o parque nacional mais visitado de todo o Brasil, com centenas de milhares de turistas que o acessam todos os anos.

Como chegar no Parque

Para chegar à Entrada da Floresta, que é a entrada da área de pedestres do Parque Nacional da Tijuca, pegue o ônibus 221 na Praça XV de Novembro, ônibus 233 e 234 na Rodoviária ou o número 133 na Rua Jardim Botânico, tudo no sentido Alto da Boa Vista (saia na Praça Alfonso Viseu). 

A poucas centenas de metros da entrada do parque o turista encontrará uma das principais atrações: a cachoeira Cascatinha Taunay, com 30 metros de altura. Um pouco mais à frente, encontra-se uma pitoresca capela do século XIX com um tríptico do pintor neo realista Cândido Portinari, outro dos principais pontos de interesse. A partir daqui o turista pode caminhar por vários caminhos.

Caminhos sinuosos levam a riachos e lagoas onde se pode se refrescar sob uma cachoeira. Alcance o topo dos morros para ver o Pão de Açúcar, Copacabana e o Cristo Redentor no Corcovado. Tem como observar macacos bugios nas árvores, avistar capivara e cutia no mato e, se tiver muita sorte, poderá até avistar uma jaguatirica ou um quati.

Como o parque oferece 200 trilhas, a melhor maneira de explorá-lo é com um guia caminhando pelo parque. Os turistas também podem visitar o parque de jipe, sempre acompanhados por um guia.

Como se movimentar

Certamente existem mais maneiras de visitar o parque.

A pé, explorando a floresta em total conexão com a natureza, permite ao turista vivenciar a vida natural observando os animais e explorando a biodiversidade da floresta. Se o turista é amante de longas caminhadas, aqui junto com um guia turístico poderá passar um excelente dia em total serenidade.

Outra forma verdadeiramente surpreendente é explorar o parque em um jipe. Esta é a aventura típica de todos aqueles que não gostam de caminhada, mas não querem perder a beleza do parque. Aproveitar um passeio de Jeep permite ao turista descobrir roteiros que não poderiam ser feitos a pé. 

No Jeep dentro da Floresta da Tijuca, podemos observar a fauna e a flora presentes que promovem uma intensa conexão com a natureza, permitindo o contato com diversas espécies nativas.

Sugestão de visita

As atrações imperdíveis são o Pico da Tijuca, o Pico do Papagaio e o Taunay Cascatinha. 

O primeiro é o ponto mais alto de todo o parque e pode ser alcançado por uma trilha íngreme e aventureira (também praticável para iniciantes), do alto é possível admirar um magnífico panorama da cidade, que inclui também a Baixada Fluminense e o Rio- Ponte Niteròi. 

Vale a pena visitar a Cachoeira Gabriela, a Cachoeira Diamantina e a Cascatinha Taunay, assim como as inúmeras cavernas como a de Luís Fernandes e a de Paulo e Virgínia.

Outro ponto imperdível é o Centro de Visitantes, com sua exposição permanente intitulada "Uma floresta na metrópole". É um espaço educativo e interativo para promover o uso consciente das áreas públicas e seus recursos. Uma experiência empolgante, mas também altamente informativa.

Setor serra da Carioca

Com menos de 4.000 hectares de extensão, o Parque da Tijuca é composto por 4 setores que não são totalmente contíguos entre si: Setor Florestal da Tijuca; Setor Serra da Carioca (onde também fica o Corcovado); Setor Pretos Forros / Covanca; Pedra Bonita / Setor Pedra da Gávea.

Trata-se de uma área do Parque que faz fronteira de um lado com o Alto da Boa Vista e a Tijuca, com o Cosme Velho de um lado e, do outro, os bairros maiores da Gávea, Horto, Jardim Botânico e Botafogo.

Neste setor existem ruas com belos mirantes, incluindo o mais famoso do Rio, o mirante do Corcovado e o monumento do Cristo Redentor. Durante a subida ao Corcovado, tanto na rodovia quanto na ferrovia, é possível observar a mata.

Outro miradouro fantástico é o Dona Marta que se situa num planalto rochoso; sempre aqui existem outros dois miradouros pouco conhecidos, o Mirante do Andaime Pequeno e o Mirante Bela Vista. Também faz parte desse setor o Parque Lage, cujo portão de entrada fica na Av. Jardim Botânico. É o setor mais visitado por conta do Corcovado e do Cristo Redentor, que recebem centenas de milhares de turistas por ano.

Pedra bonita

A trilha da Pedra Bonita está localizada dentro do Parque Nacional da Tijuca.

A caminhada é agradável e passa por áreas de reflorestamento com mata fechada. A surpresa vem quando se chega ao cume, que proporciona uma vista da Pedra da Gávea, Praias da Barra, São Conrado, Leblon e Ipanema, além do Morro Dois Irmãos, Floresta da Tijuca e algumas partes da Zona Sul.

A vista daqui não tem nada a invejar do Corcovado e do Pão de Açúcar, mas é diferente pela paisagem que pode ser admirada e, portanto, simplesmente imperdível.

Uma atividade muito comum aqui é o voo livre. Muitas das asas-deltas coloridas que sobrevoam a cidade do Rio de Janeiro se lançam do alto da Pedra Bonita, um pico de granito localizado dentro do Parque Nacional da Tijuca.

Floresta

Classificada como Patrimônio Mundial da Unesco em 1991, a Floresta da Tijuca atrai mais de 1,5 milhão de amantes da natureza a cada ano.

Até o século 16, as colinas da região eram cobertas por uma floresta abundante. Mas foi quase totalmente destruído para a produção de carvão e lenha, primeiro e depois para o cultivo de café. 

Mas o major Manuel Gomes Archer com seis escravos plantou 60.000 árvores em 13 anos, não só árvores locais, mas também outras exóticas espécies de árvores. 

A maioria dos turistas vem de táxi, mas a floresta revela inúmeros caminhos e trilhas projetadas para caminhadas ou passeios de bicicleta. No caso querer conhecer o parque com uma guia, caminhe pela floresta para observar borboletas, macacos e pássaros. Uma outra particularidade é descobrir esta floresta em um jipe ​​aberto.  Se você quer viver uma experiência única e inesquecível, venha conhecer este parque.

Descubra a América do Sul com Costa Cruzeiros

Não há melhor forma de conhecer o mundo do que com um Costa Cruzeiros.

Além de viver intensamente a cultura da cidade, há também uma maneira de mergulhar na vida daquele lugar, saboreando comidas, bebidas e curtindo o dia a dia. 

Nossos cruzeiros são uma jóia no mar. Pessoal de excelente qualidade, estará apto a receber os turistas com total serenidade. 

Para o turista que deseja relaxar, ele poderá fazê-lo em nossas saunas e academias. Caminhe pelos corredores e beba um coquetel, olhe o mar e as cidades no horizonte.

Escolha um dos vários itinerários de cruzeiros da América do Sul que o levarão a lugares além da sua imaginação. De civilizações antigas a panoramas evocativos de cachoeiras trovejantes, os cruzeiros pela América do Sul deixam sua marca.