Cachoeiras encantadoras, lagos surpreendentes em crateras, vegetação mágica,praias e natureza exuberante. As férias ideais estão localizado ao longo da costa portuguesa: bem-vindo ao Açores, um arquipélago de nove ilhas de origem vulcânica. Se você ama esportes, aventuras e natureza exuberante, é difícil imaginar um lugar melhor do que essas ilhas no meio do oceano.  As nove ilhas que compõem os Açores são distribuídas num trecho de 1500 quilômetros do mar territorial português.

Esse arquipélago é um triunfo de rochas retorcidas, areia escura, túneis de lava, lagos vulcânicos e crateras. O oceano pode ser perfeito para passeios de barco durante os quais podem ser avistadas mais de 20 espécies de baleias, incluindo as cachalotes. Se você preferir ficar em terra, use as vigias, torres de vigia antigas usadas por caçadores de baleias. Você pode ir até o cume escalando a montanha mais alta de Portugal (2351 metros) ou então fazer mergulhos. No interior, curta os lagos, as trilhas, a observação de aves e flores. Ou pedale pela Terceira, a ilha lilás. Em qualquer caso, descubra conosco quais são as paradas imperdíveis que você pode fazer com as excursões da Costa.

  • São Miguel
  • Terceira
  • São Jorge
  • Santa Maria
  • Pico
  • Faial
  • Graciosa
  • Flores
  • Corvo

São Miguel

São Miguel é a maior ilha (759 km²) e onde fica a capital Ponta Delgada, que também é a cidade mais populosa. É conhecida como "Ilha Verde" graças à incrível fertilidade do seu solo, onde se cultiva  tabaco, chá, abacaxi, bosques e pastagens. A cratera de Sete Cidades é uma visita obrigatória em uma viagem aos Açores. Dentro dessa caldeira, no lado noroeste, flui um lago vulcânico (Lagoa do Canório) de cor verde e azul.

Segundo uma lenda popular, a coloração diferente das águas teria se originado do choro desesperado de um pastor e uma princesa, que não podiam viver abertamente sua história de amor. O lago pode ser atravessado em caiaque, uma atividade que está se tornando cada vez mais popular.

Talvez a localização mais popular seja o Vale das Furnas, um impressionante vale vulcânico cultivado na parte centro-leste da ilha, onde surgem fumarolas e fontes de água e onde se formou um lago espetacular de águas cristalinas (Lagoa das Furnas). Não muito longe de Ribéria Grande, na costa norte de São Miguel, há uma outra estância termal que vale a pena uma visita: Caldeira Velha. É um parque termal natural, onde você pode tomar banho em duas fontes de água quente. A primeira piscina é uma espécie de mini-jacuzzi, enquanto na segunda você pode tomar um banho de verdade. A vegetação é exuberante e exuberante.

Alternando-se entre hortênsias e azaleias, a paisagem oferece uma explosão de cores e fragrâncias que provocam os sentidos. Outra maravilha nos arredores é a Lagoa de Santiago, ao passo que o Miradouro da Vista do Rei oferece uma espetacular vista geral da região. Diferentes espécies de samambaias dão a ideia de um ambiente exótico, quase primordial. A força do subsolo é sentida nos gêiseres, nas águas termais, nos lagos de origem vulcânica, e também no suculento "Cozido das Furnas", uma carne lentamente cozida debaixo da terra.

A natureza é o verdadeiro protagonista da ilha,  entre vistas deslumbrantes, montanhas, parques e reservas naturais. No município de Nordeste há o Parque Natural da Ribeira dos Caldeirões, uma reserva protegida também adequada para famílias por causa dos caminhos pavimentados. Ao longo do caminho você vai se deparar com cursos d’água, cachoeiras, moinhos de água antigos remodelados e vegetação exuberante. O mar também é um elemento essencial. A Praia de Santa Bárbara é a maior praia da ilha.  Destino notório de surfistas, é um lugar de tirar o fôlego para respirar o poder da natureza. A areia vulcânica é tocada por ondas bastante altas. O pôr do sol nessa praia é uma verdadeira visão.

A cidade de Ponta Delgada é o coração econômico, político e cultural dos Açores. Uma cidade ativa e cosmopolita, aqui você pode encontrar a única universidade nos Açores e um dos três aeroportos internacionais. A atmosfera colonial vibra incontestada na arquitetura típica das igrejas e edifícios da pequena cidade velha. Há muitas curiosidades e pontos turísticos: a beira mar (Avenida do Infante Dom Henrique), o Museu Carlos Machado, a faculdade de São Sebastião e o Convento de Esperança. A joia do Barroco português, a igreja do Santo Cristo, também merece uma visita. O verdadeiro símbolo de Ponte Delgada é  Portas Da Cidade , que à noite fica toda iluminada com um efeito cenográfico incrível.

Terceira

Como o nome sugere, é a terceira ilha do arquipélago a ter sido descoberta, embora tenha sido originalmente batizada de ilha de Jesus Cristo. Os assentamentos começaram no século XV, e continuaram consistentemente devido à localização geográfica favorável.

O que torna a ilha de Terceira especial, além do ambiente descontraído e festivo, é o contraste extraordinário entre a beleza natural da ilha vulcânica e o trabalho paciente do homem na cidade velha de Angra do Heroísmo, a capital, fundada em 1534, o primeiro local nos Açores a ser elevado a categoria de cidade e classificado como Patrimônio Mundial pela Unesco. Além disso, o lema da cidade, "Muito Nobre, Leal e Sempre Constante" destaca o importante papel que ela desempenhou na história de Portugal.

A baía de Angra ganhou importância não só como entreposto comercial para produtos das outras ilhas, mas também como um porto intercontinental para os navios que viajam entre a Europa, as Américas e a Índia. Visto do Alto da Memória ou do mirante Monte Brasila cidade velha de Angra do Heroísmo recorda a presença dos soberanos e nobres que viveram no passado, deixando uma arquitetura impactante, evidente nas igrejas, palácios, casas imponentes, monumentos, praças e jardins, no meio de ruas e becos, que foram preservados até hoje. 

No centro da ilha, não perca a oportunidade de ver Algar do Carvão, túnel de lava dentro da Caldeira de Guillerme Muniz. A forma peculiar dessa escultura natural bizarra, juntamente com a vegetação exuberante ao redor fazem desse local um dos principais destinos para entusiastas de trilhas que vem para Terceira de todos os lugares do mundo. O verde da vegetação que domina o interior da ilha se abranda nos arredores, por conta da ocupação humana que tem ocorrido ao longo das costas. E aqui, entre as casas coloridas, a cor lilás usada em muitas fachadas é o grande destaque.

Se você quiser curtir a vida na praia, vá direto para a Praia dos Biscoitos, que conta com algumas agradáveis piscinas naturais entre as rochas. Se, por outro lado, você gostar mesmo de natureza, você vai encontrar lugares mágicos como a Caldeira de Guilherme Moniz, cheia de urzes, ou as fumarolas das Furnas do Enxofre. Na parte da ilha de Terceira com vista para a baía da Praia da Vitória, você pode praticar esportes como surf e esqui aquático ou planejar sair para o mar de bote ou veleiro. Sem mencionar que essa é uma das melhores áreas dos Açores para observar baleias e golfinhos.

São Jorge

São Jorge é uma das joias mais selvagens e tranquilas das ilhas dos Açores. É a ilha mais longa e estreita. Há quem veja a imagem de um dragão deitado, quem sabe inspirado no dragão que se encontra na Praça de Velas, centro principal da ilha, ao lado da estátua do santo padroeiro (a outra pequena cidade é Calheta).

Pouco visitada por turistas, conseguiu manter uma atmosfera autêntica que é perfeita para quem quer descansar imerso na vegetação. Cortada por uma cordilheira, oferece vistas deslumbrantes do oceano, do alto dos 1.000 metros do Pico de Esperança; os vilarejos de Calheta e de Topo, são cheios de vistas perfeitas para cartões postaisAo pé dos penhascos, como resultado de erupções vulcânicas, formam-se áreas planas (fajãs), onde a lava solidificou ao encontrar o mar; os milhões de anos e de trabalho do mar e do tempo tornaram esses trechos de terra espetaculares e, em alguns casos, também habitados e cultivados, embora muitos tenham sido abandonados após o terremoto de 1980.

Em alguns casos, as fajãs só podem ser alcançadas a pé e, de fato, as trilhas são uma das melhores maneiras de conhecê-las. Existem rotas de várias dificuldades e você pode contratar guias especializados.

Não faltam construções ou belezas arquitetônicas na ilha: um exemplo é a Igreja Barroca de Santa Bárbara em Manadas, com suas paredes decoradas com madeira entalhada e painéis em azulejo. Se, por outro lado, você é um andarilho e prefere se movimentar, a caminhada na Fajã da Caldeira do Santo Cristo é uma das rotas mais bonitas do mundo. Maravilhosa é também a praia localizada nessa região: é uma reserva natural e, portanto, particularmente rica em flora e fauna típica do lugar. Aqui você também vai encontrar o queijo da Ilha de São Jorge, provavelmente o produto mais famoso dos Açores. Em Fajã dos Vimes há uma das poucas culturas de café da Europa. O que muitas vezes espanta são os detalhes e a atmosfera rústica e genuína que você respira. Em muitas regiões você pode ver o território dividido em pequenos terrenos para a agricultura de subsistência, e você pode admirar as casas de pedra com janelas de guilhotina triplas, cachoeiras e curiosos cabos de aço para o transporte de madeira para as planícies na costa.

Santa Maria

É a terceira menor ilha dos Açores e é conhecida como Ilha Amarela ou "Ilha do Sol". É o ponto mais meridional e mais oriental dos Açores, um pequeno paraíso caracterizado por praias e baías espetaculares. A cor verde dos campos, as casinhas pintadas de branco, o basalto preto e o ouro das praias arenosas fazem da ilha uma paleta de cores vivas e uma maravilha que deve ser descoberta. Há muitas coisas para ver em Santa Maria, não só as praias, mas também atrações turísticas autênticas, culturais e paisagísticas, espalhadas por toda a ilha.

Isso faz de Santa Maria um destino ideal tanto para quem quer viver as férias descobrindo a cultura de um lugar, quanto para quem quer "apenas" desfrutar de paisagens de tirar o fôlego. Para descobrir a ilha, é preciso visitar os Barreiros de Santa Maria, conhecidos e fotografados em todo o mundo. Extensões inteiras de terreno vermelho brilhante, lindos de ver especialmente ao pôr do sol. Um dos maiores conseguiu conquistar o apelido de "deserto vermelho", porque parece que não se pode ver o fim dele.

Para quem quer visitar os monumentos, sem problemas: uma das atrações mais famosas é a Igreja Nossa Senhora da Purificação, uma catedral localizada em Santo Espírito ,onde você pode admirar os afrescos típicos da região e a beleza do mobiliário. Uma espinha dorsal autêntica do lugar, que ajudará a compreender melhor a mentalidade dessa ilha dos Açores. Na área há também o Pico Alto, o ponto mais alto da ilha com seus 590 metros de altura. 

Lá de cima, a vista panorâmica é inesquecívelA Vila do Porto  é o maior centro populacional da ilha. A Igreja de Nossa Senhora da Assunção é uma das mais antigas dos Açores, embora tenha sido modificada várias vezes em sua história. O Forte de São Brás, com seus canhões, faz lembrar quando as ilhas foram saqueadas por piratas. Por fim, não deixe de visitar a Pedreira do Campo, onde fósseis marinhos são encontrados em uma camada basáltica, demonstrando que a ilha surgiu milhares e milhares de anos atrás.

Pico

Cada ilha dos Açores tem o seu próprio charme. Há atrações para ver e lugares para explorar. Pico é a segunda maior ilha do arquipélago e é apelidada de "ilha cinzenta" porque é a mais vulcânica em todo o arquipélago. Paisagens de todos os tipos de formação de lava dominam o ambiente, em contraste com o azul do oceano e o branco da espuma das ondas.

É a ilha mais meridional do Grupo Central do arquipélago, e um dos vértices do chamado "triângulo"; fica a apenas 6 km de Faial, sua vizinha mais próxima. Seu ponto mais alto, 2350 metros acima do nível do mar, é também o ponto mais alto de Portugal: é a Montanha do Pico. Os centros populacionais de Madalena, Lajes e São Roque valem a visita. Em Madalena, por exemplo, existem importantes locais de mergulho e, acima de tudo, há a Caverna das Torres, o túnel de lava mais longo do arquipélago.

Em Lajes, a principal atração é o Museu dos Baleeiros,com numerosos testemunhos relacionados à caça de baleias, há muito tempo a mais importante fonte de subsistência para os habitantes do arquipélago. Também aqui, no final de agosto, há uma celebração muito importante: a Semana dos Baleeiros, com shows e eventos que lembram a experiência histórica da região. O Museu da Indústria Baleeira, por outro lado, está localizado em São Roque, uma aldeia de cerca de 3000 habitantes que historicamente deve seu desenvolvimento econômico à região portuária de Cais do Pico.

O terreno vulcânico de Pico é rico em nutrientes; Esse fato, combinado com o microclima quente e seco e as colinas protegidas dos ventos graças à construção de pequenas paredes de pedra seca, fez com que  as videiras da casta Verdelho encontrassem excelentes condições para amadurecer e produzir os vinhos típicos da ilha. A paisagem de Pico é uma sucessão de vinhas, que dão origem a um vinho fresco e leve, que combina perfeitamente com as especialidades gastronômicas da ilha, bem como com pratos de peixe e frutos do mar. O famoso vinho dos Açores, semelhante ao vinho fragolino, também é produzido em Pico. É um vinho consumido pelos habitantes da ilha, especialmente durante as festas.

Em 2004, a Unesco incluiu a Paisagem do Cultivo de Vinhedos da ilha de Pico na lista de seus Patrimônios Mundiais, e o que motivou a inclusão foi a adoção de práticas antigas de cultivo misturadas à singularidade da paisagem natural. Pico é também a ilha ideal para fazer trilhas, caminhadas, corridas, passeios, observar aves, baleias e golfinhos.

Faial

Faial é a terceira ilha mais populosa dos Açores, e faz parte do grupo central do arquipélago, no canto mais ocidental do chamado "triângulo", que também inclui São Jorge e Pico, essa última a apenas 6 km de Faial. A ilha foi descoberta em 1427 e colonizado em 1432 por alguns colonos flamengos; leva o nome por causa da presença de muitas árvores faias.

Faial também é caracterizada por um grande número de hortênsias, de uma cor azul intensa, que muitas vezes são usadas para embelezar casas, ruas e edifícios públicos. Por conta disso, a ilha é apelidada de "Ilha Azul". Durante o século XVII, a ilha tornou-se um porto comercial muito importante, graças à sua localização que fez dela um porto seguro entre a Europa e a América.

Há o delicioso porto de Horta, que representa o seu maior centro. Aqui você pode encontrar o Museu Scrimshaw com sua coleção de objetos feitos em osso de baleia. Esses artefatos foram esculpidos e feitos pelas mãos habilidosas dos pescadores da ilha. Outro ponto emblemático da capital de Faial é o Peter Café Sport, uma verdadeira instituição. Para ter vistas deslumbrantes da cidade, você precisa subir o Monte Guia, um antigo vulcão que se originou no mar e mais tarde se juntou à ilha de Faial, ou então ir para Ponta da Espalamaca, um morro acima da cidade de Horta que permite observar de cima o intenso movimento de navios no porto.

Nas proximidades há praias como Porto Pim e Conceição , além da praia de Almoxarife, de areia escura e vistas privilegiadas para a montanha do Pico. A natureza também desempenha um papel importante em Faial e você pode participar de excursões para o interior ou para o mar , para procurar baleias e golfinhos. A ilha é famosa por seus murais. Tudo começou há alguns anos pela iniciativa de um membro da tripulação de um veleiro, ancorado em Horta, que queria fazer uma pintura em homenagem à sua estadia em Faial, ao longo da doca do porto. Essa primeira pintura foi seguida por muitas outras. É um mosaico de cores, onde são recordados os nomes dos barcos que atracaram na Horta ao longo do tempo.

Uma lenda acabou se espalhando por aqui: os barcos que não deixam uma memória de sua passagem na ilha  vão ter má sorte na sua jornada. Toda a ilha de Faial faz parte de um Parque Natural, e um de seus pontos fortes é definitivamente o Jardim Botânico. Aqui você poderá entrar em contato com plantas nativas e endêmicas do arquipélago. Dentro do parque, uma das principais atrações é a Caldeira, a cratera de um vulcão antigo; hoje há muitas maneiras de chegar até lá em um passeio.

Graciosa

A ilha de Graciosa é caracterizada por suas montanhas que parecem cair no mar azul, pelas paredes construídas em basalto preto intercaladas com o verde das vinhas, moinhos brancos com suas cúpulas vermelhas, tudo imerso em uma ilha que emana tranquilidade e calma. Ela também oferece a oportunidade de entrar em um vulcão, admirar um testemunho da arte renascentista ou mergulhar na colorida flora e fauna subaquáticas.

Graciosa é a segunda menor ilha do arquipélago e possui o melhor clima, pois praticamente não há relevos: o pico mais alto da ilha atinge pouco menos de 400 metros acima do nível do mar. O último dos Açores Centrais conta com fontes de águas termais a 40 graus Celsius, como as de Carapacho, ideal para um banho relaxante. Também vale a pena uma visita à encantadora Furna do Enxofre, um túnel que conduz a uma grande caverna com um lago subterrâneo da água sulfurosa

A paisagem está cheia de impressionantes moinhos de pedra; enquanto que em Santa Cruz, uma pitoresca aldeia onde você pode curtir plenamente a vida diária dessa ilha dos Açores, com seus edifícios brancos, igrejas e ruas estreitas, fará com que os visitantes se apaixonem. Eles irão apreciar os pequenos bares e restaurantes onde se pode encontrar pratos à base de peixe, mas também muitas frutas exóticas.

Do topo do Monte Nossa Senhora da Ajuda você pode admirar uma bela vista de Santa Cruz. Aqui você também pode visitar três refúgios dedicados a São João, São Salvador e à Nossa Senhora da Ajuda. Esse último é um dos melhores exemplos da arquitetura religiosa fortificada dos Açores. Ao lado está a casa dos peregrinos, projetada para acomodar os viajantes que vinham aqui em peregrinação.

Flores

Uma versão em miniatura da Irlanda ou da Suíça. Essa é uma das combinações mais frequentes que você pode encontrar quando descrevemos Flores, habitada por pouco menos de 4000 pessoas. Na verdade, as características, paisagens e cenários oferecidos por essa ilha maravilhosa lembram muito os irlandeses e suíços: montes verdejanteslagoas intocadas e os muitos cursos d’água transparentes que fluem para os lagos ou para o Oceano Atlântico. Lagos, cachoeiras, penhascos, vacas, pássaros e flores. Flores em toda parte. Não é por acaso que o nome é Ilha das Flores e a Unesco incluiu a ilha mais ocidental dos Açores na lista especial de Reservas da Biosfera.

Os habitantes estão distribuídos entre os dois principais municípios, Santa Cruz e Lajes, além de uma miríade de pequenas cidades espalhadas em todo o território. Trilhas e observação de aves são as atividades mais praticadas nessa ilha que tem um índice de precipitação mais do que duas vezes mais do que o de Graciosa e das outras ilhas do arquipélago central. O resultado é uma vegetação exuberante, ideal para muitas aves migratórias que passam pelo Atlântico. Não perca as Sete Lagoas, sete lagos de montanha pitorescos que merecem todos ser visitados. Outra visita que vale a pena é a subida até Morro Alto, o pico mais alto da ilha, e as cachoeiras Ribeira do Ferreiro. Como é muito pequena, é fácil andar pela ilha de Flores. Um passeio de barco oferece a oportunidade de ver de perto as formações rochosas da costa, incluindo o Arco de Santa Cruz das Flores e a ilhota de Maria Vaz. Não perca as cavernas marinhas, visíveis apenas da água: são elas a Gruta dos Enxaréus e a Gruta do Galo.

Corvo

Com apenas 17 quilômetros quadrados, o corvo é a menor ilha dos Açores. Dado o seu tamanho e o número de habitantes, cerca de 400, não há muitas atrações, e é também a razão pela qual os turistas, quase sempre, dedicam poucas horas a essa ilha, vindos da vizinha Flores. Somente desde 2007, quando a Unesco declarou Corvo uma Reserva da Biosfera, além das visitas diária, passaram a vir também os fãs de trekking. Os caminhantes e amantes da natureza costumam ir para o Caldeirão, o vulcão extinto no centro da ilha. Ao longo do caminho, você vai conhecer diferentes miradouros onde vale a pena parar. O mais alto é Morra de Homens com uma vista magnífica do lago vulcânico que ocupa a cratera. Outra atração para ver é a Vila do Corvo. É a única cidade da ilha e está localizada perto do porto, que garante conexões com Flores.
As lagoas claras e as hortênsias coloridas de São Miguel em Ponta Delgada, as costas altas e rochosas de Teceira, os vulcões de Pico e Faial, as planícies e cachoeiras de Flores, os moinhos de Graciosa, as montanhas, praias arenosas e aldeias bonitas de Santa Maria, a natureza selvagem de Corvo e São Jorge. Os Açores oferecem um mar de possibilidades. E não há apenas natureza a ser saboreada em toda a sua beleza e em várias paisagens, mas também centros pitorescos, ricos em cor e história. É por isso que as 9 ilhas são uma grande oportunidade para descobrir um mundo europeu e muito mais. Um cenário cheio de sugestões, aromas e um clima ao mesmo tempo agradável e surpreendente. Tudo o que resta é preparar as malas e zarpar para Portugal.

Viaje para os Açores com a Costa

 

Os Açores oferecem um mar de possibilidades que você pode experimentar com as excursões Costa. E não è só a natureza que você pode provar em toda a sua beleza e diversidade de paisagens, mas também centros pitorescos cheios de cores e história. Um cenário cheio de sugestões, perfumes e um clima agradável e surpreendente. Tudo o que você precisa è se preparar e zarpar para Portugal e descobrir os Açores.

Viaje com a Costa Cruzeiros